F1: Segundo Kravitz, Wolff ainda é o principal chefe na categoria

Toto Wolff, chefe da Mercedes, reinou por anos como o homem de ferro do paddock da Fórmula 1. Mas a temporada de 2022 trouxe uma reviravolta. Enquanto a Red Bull acertou em cheio ao abraçar o novo regulamento, a Mercedes de Wolff apostou em um conceito que se mostrou equivocado.

Embora a estratégia tenha falhado, o veterano comentarista da Sky Sports, Ted Kravitz, acredita que Wolff continua sendo o melhor líder da categoria. “Em termos de liderança, direção e motivação da equipe, ele ainda está no topo”, afirmou Kravitz em um podcast da emissora britânica. “Na Mercedes, as pessoas pulariam de um penhasco por Toto Wolff, não é mesmo? Elas iriam à batalha com ele. Ele inspira esse tipo de confiança.”

Para Kravitz, o histórico de sucesso sob o comando de Wolff contribui fortemente para essa fidelidade. Além disso, o comentarista destaca a habilidade do austríaco em manter os pilotos motivados e atrair o interesse de patrocinadores. “A única crítica que eu faria é pela pressa em descartar publicamente o conceito após a sessão de classificação no Bahrein”, afirmou Kravitz.

O comentarista questiona por que a Mercedes insistiu no conceito malsucedido de 2022, quando a opção pela abordagem da Red Bull parecia evidente. “Toto deve ter aprovado. Senão, ele poderia ter dito como líder: ‘Discordo, vamos adotar o conceito da Red Bull’. Mas por alguma razão, eles não o fizeram. Ele aprovou. E então, naquela primeira entrevista, que eu lembro vividamente, ele foi muito duro. Tipo, ‘este carro é ruim’. Isso foi logo após sessão de classificação, nem mesmo depois da corrida.”

Kravitz concorda com a avaliação de Wolff sobre o fraco desempenho do carro. “Mas descartar todo o conceito imediatamente, foi a única coisa que me fez pensar que talvez não tenha sido a liderança calma e segura de Toto que estamos acostumados a ver”, concluiu Kravitz.