F1: Sargeant quer aumentar sua consistência em 2024

Logan Sargeant entra em seu segundo ano na Fórmula 1 com um objetivo claro, ser mais consistente. Após uma estreia sem grandes resultados e apenas um ponto conquistado nos GP dos EUA, o jovem piloto da Williams quer ‘juntar os pedaços’ de cada final de semana de corrida.

2023 foi um ano de aprendizado. Superado em todos os GPs pelo companheiro de equipe, Alex Albon, Sargeant reconheceu o nível de esforço necessário na F1. Agora ele quer extrair o máximo do carro e de si mesmo.

“O maior desafio é simplesmente encaixar tudo a cada fim de semana”, afirmou à Autosport. “São muitas variáveis e aspectos operacionais para acertar. É difícil montar o quebra-cabeça perfeito. Experiência ajuda, é claro, e isso definitivamente me atrapalhou algumas vezes. É algo que ainda estou tentando dominar”, disse ele.

Com a Williams em constante ascensão (7º lugar no Mundial de Construtores em 2023), a prioridade para Sargeant não é pontuar a qualquer custo: “Pontuar seria um bônus incrível, mas eu quero ter finais de semana limpos e consistentes, onde eu juntei tudo como deveria. Se vierem pontos, ótimo. Se não, tudo bem. Só quero saber que dei o meu melhor, e isso é tudo o que realmente importa.”

O limitado tempo de treinos em 2023 exigiu uma abordagem de aprendizado contínuo para ele. A confirmação do segundo ano de Sargeant na Williams só veio após o término da temporada. O chefe de equipe, James Vowles, ressaltou a importância de observar o desenvolvimento do piloto ao longo do ano.

Sargeant também apontou as diferenças significativas entre a F2 e a F1 como um obstáculo inicial: “A F2 é ótima e tem pilotos talentosos, mas a diferença entre os carros das duas categorias é maior do que deveria ser”, afirmou. “Na F1, há muito mais detalhes, muita coisa que contribui para o desempenho além de simplesmente entrar no carro e pilotar como se faz na F2. Precisa haver uma conjunção de fatores para ser rápido, e a F2 carece um pouco disso. Os carros também não são tão rápidos na minha opinião”, concluiu o piloto americano.