F1: Saga de Alex Palou e McLaren ganha novo capítulo em disputa legal

A saga envolvendo Alex Palou e a equipe McLaren ganha um novo capítulo com revelações importantes sobre a disputa legal que continua a se desenrolar. Alex Palou admitiu, através de documentos judiciais, que violou os termos contratuais com a McLaren enquanto busca reduzir as indenizações exigidas pela equipe.

Após um acordo entre McLaren e Chip Ganassi Racing sobre os serviços de Palou para 2023, uma nova batalha começou quando Palou anunciou que não tinha intenção de honrar seu contrato com a McLaren, que o levaria a se juntar à equipe de IndyCar em 2024. Essa decisão também afetou suas obrigações como piloto reserva de Fórmula 1 na McLaren.

A McLaren, em resposta, entrou com uma ação legal contra Palou, buscando indenizações que somam $23 milhões em receita perdida. Segundo relatos da Associated Press, os detalhes chave da resposta de Palou ao processo foram submetidos ao Tribunal Superior de Justiça dos Negócios e Tribunais de Propriedade da Inglaterra e País de Gales. Palou reconheceu que “renunciou às suas obrigações contratuais” com a McLaren, alegando que “perdeu a confiança e a convicção de que [a McLaren] realmente pretendia apoiar sua ambição de correr na Série Formula One”.

O foco da resposta de Palou está em desmembrar a alta indenização que a McLaren está exigindo. Patrocínios futuros, custos de desenvolvimento e reserva na F1, despesas de substituição e um adiantamento de $400.000 em seu salário de 2024 formam a base do processo da McLaren.

Um segmento específico da reivindicação foi classificado como “embaraçoso” na resposta de Palou. A McLaren citou $7 milhões em receita perdida na IndyCar e prêmios em dinheiro, com os documentos de Palou apontando que “o desempenho do piloto é variável” e, portanto, os resultados de uma temporada ainda a ser disputada não podem ser previstos com precisão.

Palou ganhou o título de IndyCar 2023 com a Chip Ganassi Racing, seu segundo com a equipe após sua vitória inaugural em 2021. Após sua decisão de renegar seu contrato com a McLaren, Palou assinou uma extensão de contrato com a Chip Ganassi até 2026. Enquanto isso, a McLaren já tem dois pilotos reservas para a campanha de F1 em 2024: seu atual piloto de IndyCar, Pato O’Ward, que participou do FP1 pela equipe em Abu Dhabi, e o piloto de endurance da Toyota, Ryō Hirakawa.

Após terminar em quarto lugar no Campeonato de Construtores de 2023, com Lando Norris alcançando sete pódios e Oscar Piastri dois, a McLaren busca dar mais um passo à frente em desempenho para a F1 em 2024, após uma notável ascensão na ordem durante a campanha de 2023.