F1: Russell reconhece erros, mas vê evolução da Mercedes no Canadá

Apesar de reconhecer que seus erros atrapalharam sua corrida, George Russell destacou o progresso da Mercedes no GP do Canadá de Fórmula 1. O piloto britânico conquistou a pole position e finalizou a corrida na terceira posição, o que representou o melhor resultado da equipe até o momento na atual temporada.

Depois da corrida, Russell afirmou: “As atualizações introduzidas pela Mercedes estão dando resultado.”

Apesar da excelente sessão de classificação, Russell cometeu alguns erros na corrida que prejudicaram sua performance. O piloto chegou a se desculpar com a equipe e destacou a ‘oportunidade perdida’ em Montreal.

Uma das decisões questionadas foi o pit stop durante o último safety car. Com a parada, Russell perdeu a posição para Oscar Piastri da McLaren, que precisou ser ultrapassado novamente, quase causando um acidente.

“É claro que há muita coisa que você mudaria se soubesse como as coisas vão acontecer”, disse Russell sobre a escolha de pneus médios no final da prova. “Mas estou feliz com o progresso que fizemos. Estou muito orgulhoso da equipe porque lutamos por essas atualizações e elas estão valendo a pena.”

Apesar de sentir que o domingo poderia ter sido melhor, o GP do Canadá foi um claro passo adiante para a Mercedes. Ao ultrapassar Lewis Hamilton nas voltas finais, Russell conquistou o primeiro pódio da equipe no ano, seguido pelo companheiro que ficou na quarta posição.

No entanto, o piloto britânico segue crítico de seu desempenho, que acredita ter lhe tirado a chance de brigar por vitória contra Lando Norris e Max Verstappen.

“Com certeza”, respondeu Russell quando questionado sobre os aspectos positivos do final de semana. “Acho que se você nos falasse antes do GP que conquistaríamos a pole e o P3, talvez não acreditássemos, para ser honesto.”

“Mas como Max disse, foi uma corrida muito complicada para todos. Se você erra por um milímetro, está fora. Acho que, para mim, foram apenas alguns erros a mais em momentos-chave que nos custaram a chance de lutar com eles dois (Verstappen e Norris) no final da corrida”, completou o piloto britânico.