F1: Russell diz que condições no Catar estavam “além do limite aceitável para pilotar”

George Russell se viu bastante afetado pelas condições durante o GP do Catar da F1. Após a prova, o titular da Mercedes revelou que a situação estava próxima do limite e que chegou próximo de não aguentar cruzar a linha de chegada.

Max Verstappen foi campeão na Sprint do sábado, a McLaren conseguiu um pódio duplo pela segunda prova consecutiva e a Pirelli, por problemas nos compostos, obrigou os pilotos a fazerem stints máximos de 18 voltas. Mas o que chamou realmente a atenção no final de semana foi a situação dos competidores pós-corrida.

As altas temperaturas, umidade e ter de pilotas no limite durante todos os 57 giros cobrou um preço caro em cima do corpo dos pilotos. Após a bandeira quadriculada, alguns chegaram a desmaiar no centro médico e todos estavam visivelmente exaustos por conta da alta desidratação.

Ao comentar sobre um dos principais assuntos da prova no Catar, George opinou que “estava além do limite, acredito, para o que é aceitável para pilotar. Se mais de 50% do grid estava dizendo que passou mal, não conseguia pilotar, se aproximou de desmaiar, você não quer perder consciência quando está em alta velocidade na reta.”

“Foi como me senti em alguns momentos. Um pouco mais quente e acho que teria abandonado porque meu corpo iria desistir”, ressaltou.