F1: Possível entrada da GM como fornecedora de motores parece ter boa aceitação das atuais equipes

Com o compromisso da General Motors em fornecer motores para a Fórmula 1 a partir de 2028, um novo capítulo foi adicionado à novela em torno da possível entrada da equipe Andretti na F1. Com a marca Cadillac, a GM, uma das maiores fabricantes de automóveis do mundo, pretende fornecer unidades de potência para a Andretti. Seria este o elo perdido para que as atuais equipes do grid permitam a entrada dessa combinação americana na categoria?

Toto Wolff, chefe da Mercedes, expressou satisfação com a chegada da General Motors à Fórmula 1, mas ao mesmo tempo adotou uma postura cautelosa: “Bem, a GM é uma das grandes jogadoras, sem dúvida. Acho que se eles dizem que querem ingressar na categoria em 2028, eles estão falando sério sobre isso, e é um bom compromisso. Temos que ver se o detentor dos direitos comerciais considera isso uma boa entrada ou não.”

Wolff reiterou que uma equipe adicional pode resultar em uma diminuição das receitas para as outras equipes: “Não mudei minha opinião sobre isso. Não vimos nenhum dado, só para dizer que será incrível. Onde está o caso? Quais são os números? Quanto podemos ganhar em popularidade? Quanto vale o nome? Quão mais atrativo pode ser o esporte? Quais são os fatos? E se esses fatos forem positivos, não tenho dúvidas de que a F1 considerará dessa forma.”

Existem alguns boatos circulando, que a Williams secretamente espera contar com a General Motors para sua unidade de potência no futuro. O chefe da equipe britânica, James Vowles, não quis comentar sobre isso, mas destacou que a GM seria uma boa empresa para a categoria. “Não temos conversas com eles, mas acredito que são o tipo de empresa, o tipo de OEM, que fará crescer nosso esporte. No entanto, minha visão fundamental sobre a 11ª equipe adicional, ainda gira em torno das finanças da Williams, que é onde está meu foco.”

Fred Vasseur, chefe da Ferrari, parece ter moderado seu tom: “Qualquer novo fornecedor de motores é bem-vindo na F1. Não é a mesma história da 11ª equipe. São duas equações separadas. Penso que sua pergunta é sobre os fornecedores de motores, e podemos ter um novo fornecedor de motores.” Seu colega Zak Brown, o chefe da McLaren, conhece bem a General Motors e é positivo em relação à notícia: “Somos parceiros da GM em nossa equipe de IndyCar. Eles têm uma grande história nas corridas de automóveis, e quanto mais unidades de potência no esporte, melhor”, finalizou Brown.

O F1MANIA.NET cobre o GP de Las Vegas da F1 ‘in loco’ com Victor Berto.