F1: Pilotos têm opiniões divididas sobre novo formato das corridas Sprint

As corridas Sprint na Fórmula 1, que tiveram um novo formato introduzido nesta temporada, geram opiniões divididas entre os pilotos. O formato, que já teve duas etapas consecutivas na China e em Miami, preocupa Sergio Perez, da Red Bull Racing.

O mexicano teme a sobrecarga de trabalho para a equipe de mecânicos. “O formato atual exige muito dos mecânicos. É um grande esforço ter que modificar o carro logo após a corrida Sprint, antes da sessão de classificação para o GP. Aumenta muito a carga de trabalho. Eu realmente gostaria de revisar o formato para cuidar das pessoas do nosso esporte”, afirmou Perez.

Já Oscar Piastri, da McLaren, não vê problemas com as corridas Sprint sequenciais. “Para mim, ter duas seguidas não faz muita diferença. É basicamente a mesma coisa. Você encara o fim de semana de maneira similar, não muda muito se elas estão juntas ou não. Acho que alguns circuitos são melhores para a Sprint do que outros, mas ter duas seguidas não me incomoda.”

Logan Sargeant, da Williams, se junta a Max Verstappen, que apesar de ter suavizado sua crítica inicial, não é um grande fã do formato atual. “Eu preferiria apenas ter 24 finais de semana normais”, disse o piloto americano.

Valtteri Bottas, da Sauber, demonstra indiferença quanto à distribuição das corridas Sprint ao longo da temporada. “Não importa quando elas acontecem. No final, são seis no ano de qualquer forma”, afirmou o finlandês.

Lance Stroll, da Aston Martin, sugere uma alternativa radical. “Eventos de dois dias seriam ótimos, já que temos tantos finais de semana de corrida agora, tantas quintas-feiras. Treino, três horas na manhã de sábado, classificação no sábado à tarde e corrida no domingo. Isso seria bom”, opinou o canadense.