F1: “Não é culpa de Steiner”, afirmou dono da Haas sobre saída do chefe de equipe

A era de Guenther Steiner à frente da Haas na Fórmula 1 chegou ao fim de forma repentina na quarta-feira. Apesar de a demissão ter sido formalizada com um comunicado à imprensa cheio de ‘palavras bonitas’, a entrevista concedida pelo dono da equipe, Gene Haas, ao site oficial da F1 revelou um tom bem mais direto sobre o motivo dessa mudança.

Essa decisão se resumiu a uma palavra: performance. “Aqui estamos, em nosso oitavo ano, mais de 160 corridas, e nunca subimos ao pódio. Nos últimos anos, temos ficado em 9º ou 10º lugar”, lamentou Haas, que investiu dezenas de milhões de dólares da sua fortuna pessoal anulamente na equipe de F1.

“Não estou dizendo que a culpa é de Guenther, ou algo assim”, esclareceu o americano. “Mas simplesmente parecia que este era o momento certo para fazer uma mudança e tentar uma direção diferente, porque continuar com o que tínhamos não parecia estar funcionando.”

Apesar de reconhecer a dificuldade da decisão, Haas destacou que gosta de Steiner e que o relacionamento pessoal não foi um fator determinante. No entanto, ele afirmou não entender o que deu errado no final da temporada passada, que descreveu como ‘dura’. “No final das contas, é sobre performance. Não tenho mais interesse em ser o 10º”, encerrou o dono da equipe.