F1: Mercedes defende Wolff em investigação da FIA sobre conflito de interesses

A equipe de Fórmula 1 da Mercedes enfrenta um momento delicado após a Federação Internacional do Automobilismo (FIA) abrir uma investigação sobre Toto Wolff, acusado de possível conflito de interesses. A suspeita surgiu a partir de queixas de outros chefes de equipe sobre a possibilidade de Wolff compartilhar informações confidenciais com sua esposa, Susie Wolff, diretora-gerente da série F1 Academy, vinculada à Formula One Management (FOM).

A preocupação central gira em torno do acesso de Toto Wolff a detalhes confidenciais das atividades da FOM e de possíveis informações que sua esposa teria, discutidas estritamente entre os chefes de equipe.

A Mercedes, por sua vez, manifestou-se firmemente, declarando total confiança na inocência de Wolff. A equipe expressou surpresa ao tomar conhecimento da investigação por meio de um comunicado público da FIA, em vez de uma comunicação direta. A declaração da equipe enfatiza: “Tomamos nota da declaração genérica da FIA esta noite, que responde a alegações infundadas de um único meio de comunicação, e do briefing extraoficial que a vinculou ao Chefe de Equipe da Mercedes-AMG F1”. Além disso, a Mercedes refuta veementemente as alegações e as coberturas midiáticas associadas, defendendo a integridade e conformidade de Wolff.

A Formula 1 também se posicionou sobre o caso, negando quaisquer acusações de má conduta e reforçando sua confiança na segregação de informações e procedimentos robustos para evitar conflitos de interesses. A declaração deles destaca: “Tomamos nota da declaração pública feita pela FIA esta noite que não foi compartilhada conosco antecipadamente. Temos total confiança de que as alegações são erradas, e temos processos e procedimentos robustos que garantem a segregação de informações e responsabilidades em caso de potencial conflito de interesses”.