F1: Magnussen defende mais liberdade para os pilotos: “No final, todos querem terminar a corrida”

Kevin Magnussen está frustrado com o sistema de penalidades da Fórmula 1. O piloto da Haas está muito perto de ganhar uma suspensão, enquanto Max Verstappen, punido por causar uma colisão com Norris, ganhou dois pontos na superlicença e está longe de ser suspenso.

“É frustrante que as regras sejam interpretadas de maneira diferente o tempo todo. Talvez devessem torná-las um pouco mais livres. No final das contas, Max [Verstappen] recebeu uma penalidade, que pode ter sido justificada de acordo com as regras. Mas ele já havia sido punido sozinho com o furo, então não acrescentou nada naquele momento”.

O piloto dinamarquês argumenta que é melhor dar mais liberdade para os pilotos, assim “eles provavelmente vão lutar duro, mas no final você quer terminar a corrida. Então você tem que manter seu carro inteiro e isso impede os pilotos de fazerem coisas loucas. Acho melhor supor que as pessoas querem terminar a corrida, em vez de sempre assumir honras”.

Para provar seu ponto, Magnussen compara a F1 com a IndyCar: “Eu mesmo já corri na IndyCar e também em carros esportivos na América. Nos EUA, eles têm essa abordagem de deixar os pilotos correrem e funciona. Não é como se estivesse fora de controle lá. Quando você corre lá, é um pouco como o karting costumava ser. Lá, não havia regras específicas para tudo e funcionava naturalmente. E as corridas eram ótimas!”

Mas Magnussen concorda com a regra de frenagem. “Acho que você tem que fazer a manobra antes que a outra pessoa faça, caso contrário, é perigoso se alguém estiver no vácuo e você se mover logo depois que ele se mover. Você não pode fazer isso. Uma vez que você pisa nos freios, mudar muito de direção também é perigoso.”