F1: Hamilton relembra dificuldades da Mercedes com o “porpoising” em 2022

Lewis Hamilton relembrou a difícil temporada da Mercedes na Fórmula 1 em 2022, e afirmou que a equipe precisou remover ‘cerca de 90 pontos de downforce’ no carro daquele ano para minimizar o ‘porpoising’, fenômeno que afeta os carros com efeito solo.

Apesar de ter sido campeã de construtores por oito anos consecutivos, a Mercedes soma apenas uma vitória nas últimas três temporadas (de George Russell no GP de São Paulo em 2022). A equipe alemã surpreendeu a todos no início de 2022 com um ousado conceito ‘zeropod’, mas enfrentou problemas graves de ‘porpoising’, que a impediu de extrair o desempenho esperado.

“Naquele momento, foi realmente interessante ver as ferramentas que a equipe teve que desenvolver para entender o fluxo de ar sob o assoalho”, disse Hamilton. “É bem mais técnico e complexo que a geração anterior de carros. Mas existe uma discrepância entre o túnel de vento e os dados computacionais com a pista real, e os diferentes circuitos que enfrentamos.”

O piloto britânico também disse que a Mercedes tinha um grande potencial no carro inicial com efeito solo, mas não pôde utilizá-lo por causa do ‘porpoising’.

“Acho que a Red Bull resolveu isso praticamente no primeiro teste no Bahrein”, continuou Hamilton. “Eles conseguiram resolver o problema, e a partir daí, puderam continuar o desenvolvimento. Na primeira corrida de 2022, tivemos que tirar cerca de 90 pontos de downforce do carro. Tínhamos downforce, mas não podíamos utilizá-lo porque o carro estava quicando muito”, encerrou o heptacampeão.

Mesmo tendo abandonado a solução ‘zeropod’ na metade de 2023 e seguido sem esse conceito no novo W15, a Mercedes enfrenta seu pior início de temporada desde 2012. Um duplo abandono na Austrália deixou a equipe na quarta colocação do campeonato de construtores, com Hamilton somando apenas oito pontos até o momento.