F1: FIA endurece regras sobre peso dos carros para 2026

O peso excessivo dos atuais carros da Fórmula 1 virou alvo da FIA para as novas regras a partir de 2026. Diferente do que aconteceu em 2022, quando ajustes no limite mínimo permitiram que equipes como a Red Bull escapassem de penalidades, o próximo ciclo de regulamentos promete ser mais rígido.

Em 2022, o aumento de peso dos carros gerou polêmica. Apenas a Alfa Romeo atingiu o mínimo estipulado, e outras equipes, incluindo a Red Bull, ficaram bem acima. Para compensar, o limite foi elevado, o que beneficiou principalmente a equipe de Max Verstappen.

No entanto, a partir de 2026, a história será diferente. As novas regras visam uma redução significativa do peso, entre 40 e 50 quilos, atendendo a um anseio de pilotos e fãs por carros mais ágeis e dinâmicos. E dessa vez, a FIA promete tolerância zero.

“As equipes terão que se esforçar para reduzir o peso se não conseguirem atingir o limite. O limite que estamos definindo para 2026 não vai mudar”, afirmou Nikolas Tombazis, diretor de monopostos da FIA, ao Motorsport.com.

Essa medida visa impedir que as equipes adicionem componentes pesados aos carros no início da temporada, como aconteceu em 2022 com as peças obrigatórias. Segundo Tombazis, a partir de 2026, essa tática não existirá mais.

A nova postura da FIA promete impactar as equipes, que terão que repensar o design e a construção dos carros para otimizar o peso e alcançar o desempenho desejado dentro das regras definidas. O objetivo é tornar a F1 de 2026 mais justa, ágil e emocionante, deixando para trás a era dos carros pesados e ‘ajustes’ no decorrer da temporada.