F1: Ferrari atrasada nas renovações de contrato de Leclerc e Sainz

Vasseur confirma atraso nas renovações de Leclerc e Sainz na Ferrari

Fred Vasseur, chefe da equipe Ferrari, admite que estão atrasados na programação para acordar novos contratos com Charles Leclerc e Carlos Sainz, mas tem como objetivo concretizar ambos os acordos antes do início da temporada de F1 de 2024.

Conforme a Ferrari se prepara para a nova temporada, com a esperança de retornar à disputa pelo título, há negócios importantes a serem resolvidos no que diz respeito aos pilotos, já que tanto Leclerc quanto Sainz têm contratos que expiram no final de 2024. Vasseur confirmou que novos acordos estão em vista para ambos, apesar de a equipe ter se atrasado na programação inicial para assinar e selar esses contratos.

Vasseur disse que é seu objetivo garantir que Leclerc e Sainz tenham novos contratos antes do início da ação da F1 em 2024. “Eles estavam exaustos, mas todos nós estamos”, comentou Vasseur, citado pela Formu1a.uno. “Depois de Abu Dhabi houve testes, depois um evento na Arábia Saudita e depois voltaram aqui para trabalhar no simulador. Agora é bom ter 2-3 semanas de folga. O objetivo é renová-los antes da próxima temporada, sim.”

Sobre a dinâmica entre Leclerc e Sainz, Vasseur garantiu que ambos os pilotos recebem tratamento igual na Ferrari, o que ele acredita ser evidenciado nas pontuações semelhantes de F1 em 2023, com Leclerc marcando 206 pontos e Sainz 200. Sainz, enquanto isso, foi o único vencedor de Grand Prix da temporada que não pertence à Red Bull, conquistando a bandeira quadriculada em Singapura.

Vasseur confirmou que ambos os pilotos estão totalmente envolvidos no desenvolvimento do desafiante da Ferrari para F1 em 2024, mas pediu cautela sobre as expectativas para a próxima campanha. “Os dois pilotos estão totalmente envolvidos no desenvolvimento”, confirmou Vasseur. “Eles também estavam bastante felizes, mas isso não é indicação de como a temporada vai acontecer.”

A Ferrari continua buscando seu primeiro triunfo no título da F1 desde a conquista do Campeonato de Construtores em 2008.