F1: Ex-preparador físico de Verstappen diz que pandemia os aproximou mais

Max Verstappen inicia sua décima temporada na Fórmula 1 com um novo preparador físico. Em novembro de 2023, foi anunciado que Bradley Scanes não seria mais o treinador de desempenho do piloto da Red Bull. O fisioterapeuta britânico viveu grandes momentos com Verstappen, e destacou um em especial, o período de lockdown em 2020 devido à pandemia de Covid.

“Tivemos sorte e também falta de sorte, eu acho. Nossa primeira temporada juntos foi em 2020, e passamos toda a pré-temporada juntos. Fizemos 8, 9, 10 semanas em Mônaco. Treinamos, almoçávamos, jogávamos dardos, jogávamos FIFA. Nos unimos dessa forma. Então fomos para a primeira corrida, e então obviamente todos nós fomos mandados de volta, e a COVID nos atingiu”, disse Scanes no podcast Red Flags.

“Acho que foi um momento muito bom para nós porque nos obrigou a ficar juntos ainda mais, e você não podia realmente fazer nada. Você não podia sair”, afirmou o fisioterapeuta britânico. Verstappen venceu Scanes nos jogos mencionados (dardos e FIFA). Quando questionado se o britânico era competitivo nos jogos contra Verstappen, ele respondeu: “Queria que eu fosse, mas perdi muitas vezes”.

O período de lockdown, apesar dos desafios, acabou fortalecendo o vínculo entre Verstappen e Scanes. Os jogos, as conversas e o tempo juntos longe das pistas ajudaram a construir uma amizade que, mesmo com o fim da parceria profissional, promete se manter.

A experiência de Scanes com Verstappen é mais um exemplo da importância que vai além das vitórias e pole positions na Fórmula 1. O lado humano, a construção de relações e a capacidade de superar desafios juntos, também fazem parte do caminho para o sucesso no esporte a motor.