F1: Ex-piloto pede “restrições” para Hamilton na Mercedes este ano

O ex-piloto de Fórmula 1, Ivan Capelli, causou polêmica ao propor que a Mercedes limite o acesso a informações confidenciais para Lewis Hamilton, a partir da metade da temporada 2024. A sugestão veio em decorrência da já anunciada mudança do heptacampeão para a Ferrari em 2025.

Após um longo período na equipe alemã, Hamilton anunciou sua saída para a próxima temporada. Com isso, Capelli acredita que a Mercedes precisará adotar medidas para proteger sua propriedade intelectual, impedindo que o piloto compartilhe dados sigilosos com a Ferrari no próximo ano.

“Se eu fosse a Mercedes, proibiria Hamilton de levar o telefone celular para a garagem a partir do meio da temporada, para ficar no lado seguro”, disse Capelli ao jornal italiano Gazzetta dello Sport. “Quanto mais perto do fim do relacionamento de trabalho, menos a Mercedes fornecerá informações a Hamilton.”

O ex-piloto acredita que, apesar de qualquer restrição, Hamilton manterá seu profissionalismo. “Ainda assim, o próprio Hamilton certamente dará tudo durante toda a temporada deste ano”, acrescentou.

Capelli também comentou sobre o impacto do piloto na Ferrari: “Ele entendeu o que significa a Ferrari. Ele irá com nova energia, e vai levar experiência, entusiasmo e talvez alguns engenheiros, talvez alguns que nunca acreditaram que a Ferrari mudaria. Talvez também um engenheiro cujo sobrenome começa com N (referência a Adrian Newey, diretor técnico e projetista-chefe na Red Bull)”, concluiu o ex-piloto.

A sugestão de Capelli gerou debate na comunidade da F1, com alguns concordando com a necessidade de cautela da Mercedes, enquanto outros consideram a medida desnecessária e prejudicial ao clima de trabalho na equipe.