F1: Croft diz que segundo lugar da Mercedes entre os construtores ocorreu devido à união interna na equipe

O comentarista da Sky Sports, David Croft, não poupou críticas ao desempenho da Mercedes na temporada 2023 da Fórmula 1. Embora a equipe tenha conquistado o vice-campeonato de construtores, Croft aponta falhas no carro W14 que limitaram os pilotos Lewis Hamilton e George Russell, principalmente no início da temporada.

“Não sei qual foi o raciocínio nos bastidores no início da temporada, mas algo impediu a Mercedes de abordar um conceito diferente”, afirmou Croft no podcast da Sky Sports. “Algo os impediu de fazer o que era óbvio: descartar o conceito que estavam utilizando (zeropod) e tentar um caminho diferente. Começaram a temporada mais uma vez com um carro que não estava à altura de onde queriam estar.”

Apesar das críticas ao carro, Croft elogiou o chefe da equipe, Toto Wolff, e a dupla de pilotos. Segundo ele, sem essa combinação, a Mercedes não teria conquistado o segundo lugar entre os construtores.

“Devemos dar crédito a Toto Wolff. Ele fez mudanças nos bastidores para resolver os problemas. Agora, eles seguem em uma direção diferente. E garantiu novos contratos para seus pilotos, o que foi um grande ponto positivo para a Mercedes este ano. Terminaram em segundo, mas sem essa combinação de pilotos, teriam alcançado esse resultado? Não, eu não acho”, concluiu.

Croft acredita que a união entre a diretoria, o time de engenharia e a performance de Hamilton e Russell foram cruciais para a recuperação da Mercedes ao longo da temporada. Com um novo carro para 2024 e com a mesma dedicação da equipe, o comentarista espera ver a Mercedes de volta à briga pelo título na próxima temporada.