F1: Comissário reconhece que penalidade de Sainz em Las Vegas foi errada

O atual comissário e ex-piloto de Fórmula 1, Derek Warwick, expressou sua frustração, admitindo que a imposição da penalidade de dez posições no grid para Carlos Sainz da Ferrari, no GP de Las Vegas foi errada. Warwick, ex-piloto da Renault, Brabham e Lotus, revelou sua impotência diante da situação.

Durante o TL1, Sainz atingiu uma tampa de bueiro solta na Strip, destruindo parte do monocoque, o motor de combustão interna, controle de eletrônicos, e a bateria. Como resultado, ele foi obrigado a utilizar sua terceira bateria da temporada, desencadeando uma penalidade de dez posições no grid, quando apenas duas substituições desse componente são permitidas.

A Ferrari solicitou a revogação da penalidade com base em ‘força maior’, mas apesar da simpatia dos comissários em relação ao caso, não havia mecanismo nos Regulamentos Esportivos para perdoar a penalidade. Dessa forma, Sainz iniciou a corrida em 12º lugar, mesmo após se classificar em segundo, e chegou à sexta posição após uma rodada na primeira volta.

Refletindo sobre o incidente, Warwick, vencedor das 24 Horas de Le Mans em 1992, admitiu que a penalidade ‘foi errada’.

“É um trabalho difícil para um comissário, assim como para um árbitro, e temos que ser imparciais”, disse Warwick à Reuters. “Precisamos ser rigorosos e duros às vezes, mesmo quando isso nos machuca. A penalidade que tivemos que dar a Sainz em Vegas, ela foi errada, trabalhamos muito para evitar que acontecesse, mas são as regras da F1”, encerrou o ex-piloto.