F1: Chefe descarta “falha” caso Aston Martin termine abaixo de 2023

A Aston Martin busca manter a boa fase que mostrou em 2023 em boa parte de sua campanha na F1. Entretanto, Mike Krack, chefe do time, descartou que seria uma falha caso a equipe não conseguisse melhorar seus resultados na temporada 2024.

A esquadra de Silverstone começou o campeonato passado em uma forma bastante surpreendente. Das primeiras oito etapas do calendário, Fernando Alonso subiu nada menos que seis vezes ao pódio, sendo duas vezes com segundas colocações.

Entretanto, o bom desempenho da Aston Martin não iria durar muito mais. O time acabou encontrando inesperados efeito colaterais de algumas atualizações e acabou superado pela Ferrari, Mercedes e McLaren, terminando o Mundial de Construtores na quinta colocação.

E apesar de o declínio de resultados ter sido esperado por Krack, a queda veio antes do que o previsto. “No início do ano, quando tínhamos esses bons resultados, eu sempre levantava o dedo e dizia: ‘Teremos momentos mais difíceis’. E eles vieram, infelizmente, muito mais rápido do que queríamos”, disse em entrevista a Autosport.

Entretanto, o dirigente destacou que mesmo que a equipe termine abaixo do que em 2023, não vai ser considerado um grande problema internamente. “Temos de olhar as coisas um pouco de distância, em um período de três ou quatro anos ao invés de a cada corrida ou temporada”, pontuou.

“Se não terminarmos em uma posição mais alta no ano que vem do que neste ano, as pessoas irão encarar como uma falha. Acho que tem de diferenciar um pouco mais, mas a natureza do negócio é a posição do campeonato”, encerrou.