F1: Chefe de equipe ignorou Verstappen na votação de melhor piloto do ano

Max Verstappen conquistou seu tricampeonato na Fórmula 1 de maneira dominante em 2023. Ninguém contesta seu título como o melhor piloto da temporada. Mas para surpresa geral, um dos chefes de equipe da F1 decidiu discordar de forma contundente, não colocando o holandês nem mesmo entre os dois melhores pilotos da F1.

A F1 realiza anualmente votações internas para eleger o melhor piloto e chefe de equipe do ano. Entre os pilotos, Verstappen, sem surpresa, liderou a eleição com ampla vantagem (apenas Lewis Hamilton se absteve de votar). Já entre os chefes, Verstappen também figurou como favorito, embora a F1 não revele oficialmente a pontuação.

No entanto, um chefe de equipe, dentre os dez votantes, optou por ignorar completamente o domínio de Verstappen. Simplesmente não lhe atribuiu sequer um ponto, quebrando a sequência da votação, baseada no sistema de pontuação vigente nos GPs. Isso significa que, além de não considerar Verstappen para o topo do pódio, esse chefe anônimo nem mesmo o viu merecedor do segundo lugar.

A atitude gerou críticas do comentarista e ex-piloto, Jan Lammers, que classificou o comportamento como ‘patético’. “É tão difícil reconhecer a excelência?”, questionou Lammers. “O que ganha em dar pontos a seus próprios pilotos para inflar seu ego no ranking final? Isso é extremamente infantil”, disse ele.

Embora seja impossível apontar o dedo com certeza, a suspeita generalizada é de que esse chefe de equipe reservou os pontos mais altos para seus próprios pilotos. O anonimato da votação, porém, protege o votante de qualquer represália.

“Isso prova que a votação secreta pode ser manipulada”, lamentou Lammers. “Mas sinceramente, quem quer um chefe de equipe assim? Alguém que sacrifica a objetividade para promover interesses pessoais?”, questionou.

A escolha desse chefe anônimo deixou uma sensação de ‘injustiça’ para Verstappen e seus fãs, mas obviaente, ninguém é obrigado a concordar com a opinião dos outros, e todos têm todo o direito de manifestar sua própria opinião, sem obrigação de agradar a outras pessoas.