F1: Chefe da McLaren admite atraso de desenvolvimento em relação à Ferrari

O chefe da McLaren, Andrea Stella, acredita que a posição de Lando Norris à frente dos pilotos da Ferrari no grid de largada do GP do Japão de Fórmula 1, se deve às condições nas sessões de classificação, que reduzem o déficit da equipe inglesa.

A McLaren esperava brilhar em Suzuka, circuito de alta velocidade que se encaixaria bem com as características do MCL38. Norris conquistou o terceiro lugar no grid de largada, atrás dos dois carros da Red Bull, mas a equipe acabou superada pela Ferrari na corrida, mesmo com estratégias agressivas.

No entanto, Stella destacou que a McLaren não errou ao buscar o pódio e que o resultado final, atrás da Ferrari, reflete o ritmo dos carros. O dirigente italiano afirma que a fraqueza da McLaren em curvas de baixa velocidade não foi tão evidente no Japão, mas se tornou um problema com o desgaste dos pneus.

Perguntado se a Ferrari teve um desempenho abaixo do esperado ou se a McLaren teve um desempenho acima do esperado na sessão de classificação no Japão, Stella respondeu: “Eu acho que é um pouco dos dois. Com um pneu novo macio, podemos atenuar alguns dos déficits que temos no momento, como curvas de baixa velocidade. Quando há borracha nova, macia, com muita aderência, a curva se torna um pouco mais curta, você tem aderência para compensar algumas das fraquezas, e podemos nos defender desse ponto de vista. Não perdemos muito tempo no grampo ou em outras curvas de baixa velocidade.”

“Mas quando você está com compostos mais duros, a cada volta o pneu perde um décimo. Então, depois de dez voltas, seu pneu está um segundo mais lento. Acho que isso expõe as fraquezas do carro um pouco mais. Então, acho que é por isso que sofremos um pouco mais na corrida do que na sessão de classificação”, acrescentou.

Questionado sobre as atualizações que a McLaren trará em Miami e se elas permitirão alcançar a Ferrari, Stella destacou que o mais importante é manter a curva de desenvolvimento ascendente.

“Com a situação de hoje, talvez seja suficiente para desafiar a Ferrari, mas nem quero pensar que a Ferrari não terá atualizações também. Certamente terão. Então, torna-se uma disputa de atualizações. Mas no ano passado, conseguimos superar nossos concorrentes. Ao longo da temporada, trouxemos mais tempo de volta do que os concorrentes. Então para nós, esse continua sendo o objetivo. E desde que vejamos que o que planejamos trazer para a pista realmente se concretize, então estamos felizes porque sabemos que estamos na nossa trajetória, que acreditamos ser uma trajetória forte”, encerrou Stella.