F1: Chefe da Aston Martin diz que “não há motivo para ser negativo”, se referindo ao lento progresso da equipe

No ano passado, a AM foi a surpresa da temporada, tendo um início impressionante. No entanto, a equipe está em quinto lugar no campeonato de construtores desse ano, com Lawrence Stroll, dono da Aston Martin e pai de um dos pilotos da equipe, tendo investido fortemente para o desenvolvimento do time, com o intuito de torná-lo uma forte concorrente ao título dentro dos próximos anos.

Krack destacou que o progresso da equipe pode variar, influenciado pelo desempenho dos concorrentes. Além disso, ele apoiou a posição atual da equipe, defendendo o projeto da equipe a longo prazo, com a futura parceria com a Honda a partir de 2026. Ele também expressou a opinião de que alguns podem estar “julgando às vezes um pouco rápido demais”, quando as expectativas de desempenho não são atendidas.

“No ano passado, neste momento, disseram estarmos muito a frente do planejado, agora estamos muito atrás do planejado. Então, eu acho que, se você der um zoom, realmente precisa ver se há progresso como equipe”, disse Krack ao ser questionado se estava preocupado com a posição atual da Aston Martin em comparação as outras equipes.

“Acho que no ano passado, estávamos obviamente melhores do que pensávamos, e eu sempre disse em uma trajetória ascendente, vai subir, vai descer dependendo do que seus concorrentes estão fazendo – mas você tem que manter o alvo à vista”. 

“E no final do dia, não é apenas temporada por temporada, estamos julgando também corrida por corrida. Então, às vezes, estamos julgando um pouco rápido demais o desempenho da equipe ou o desempenho de uma atualização, ou o desempenho do carro em geral e especialmente também dos pilotos”.

“Agora, quando você olha para as tendências, você pode ser positivo ou negativo sobre isso – é como com o mercado de ações. Então eu acho que temos um plano em andamento. Desenvolvemos a equipe do ponto de vista da infraestrutura. Do jeito que estamos nos desenvolvendo, temos ótimos parceiros vindo com a Honda, temos um ótimo parceiro com a Aramco, então acho que não há motivo para ser negativo.

“Você vai lembrar que eu sempre digo que temos que ter cuidado ao fazer esses planos. O progresso nem sempre é linear e, além disso, quanto mais perto você chega da frente, mais difícil fica. Isso não é uma desculpa. Somos uma equipe, então está tudo bem e, para ser honesto, temos que enfrentar essas perguntas se fazemos essas declarações”.

“Então, tudo somado, acho que estou feliz com a forma como a equipe se desenvolve. E acho também no desenvolvimento da equipe, você tem que passar por períodos mais difíceis também, sabe, e o nível de expectativa é muito, muito maior este ano, por causa do ano passado, e isso é algo que temos que passar”.