F1: Chefe da Alpine queria tirar Ocon do GP do Canadá, mas foi impedido

Esteban Ocon já sabe que vai se despedir da Alpine após o final da temporada 2024 da Fórmula 1. No entanto, o piloto francês quase não iria disputar o GP do Canadá, marcado para o próximo final de semana.

Segundo o jornal francês L’Equipe, o chefe de equipe Bruno Famin, pretendia suspender Ocon como punição pelo acidente com Pierre Gasly em Mônaco. O dirigente chegou a falar em ‘consequências’ após a corrida em Monte Carlo, alimentando rumores de que o francês poderia ficar fora em Montreal.

Após a repercussão negativa do ocorrido, principalmente online, Ocon se manifestou nas redes sociais para negar a suspensão e confirmar sua presença no Canadá. Na segunda-feira, veio a notícia oficial de sua saída da Alpine, com seu futuro ainda indefinido.

O que impediu a punição? O departamento jurídico da Alpine. De acordo com o L’Equipe, os advogados da equipe temeram uma ação legal de Ocon caso fosse barrado, pois isso violaria seu ‘direito ao trabalho’.

De qualquer maneira, Ocon recebeu uma penalidade dos comissários da FIA de cinco posições no grid de largada para o GP do Canadá, por causar a batida com Gasly. No entanto, a intenção de Famin era punir Ocon com a suspensão, o que teria sido uma medida bem mais controversa do que simplesmente cumprir a penalidade esportiva.