F1: Brown diz que FIA precisa explicar os casos de Horner e Ben Sulayem

O CEO da McLaren, Zak Brown, voltou a cobrar transparência da FIA em relação às investigações envolvendo Christian Horner e Mohammed Ben Sulayem.

Tanto Horner, chefe da Red Bull Racing, quanto Ben Sulayem, presidente da FIA, foram inocentados de acusações recentes, mas o processo investigativo em ambos os casos levantou muitas dúvidas. Questionamentos rondam as investigações sobre Horner e o comitê responsável por analisar o caso de Ben Sulayem, que investigou a si mesmo.

“Todas as questões que vieram à tona recentemente são situações muito sérias”, disse Brown em entrevista coletiva na Austrália. “Vivemos em 2024, não em 1984. Precisamos de total transparência. Os casos são diferentes, mas todos muito sérios. É preciso garantir que as investigações sejam conduzidas de forma transparente e verdadeiramente independente. Acho que todos deveriam apoiar a transparência.”

Brown acredita que a falta de clareza gera descrédito. “Enquanto perguntas sem resposta persistirem, as pessoas continuarão questionando. Não acho que seja uma boa situação estarmos na terceira corrida do campeonato e ainda debatendo esses assuntos. Precisamos de transparência. É necessário garantir que todos tenham a oportunidade de se pronunciar.”

“Até o momento, só sabemos o que vocês (imprensa) sabem, com base no que lemos. Existem recursos e etc. Por isso, acho importante que a FIA, como nosso órgão regulador, aborde isso de forma rápida, transparente e chegue às conclusões corretas, sejam elas quais forem”, acrescentou.

Para Brown, falta clareza por parte da FIA: “Precisamos confiar que a FIA possui estatutos para conduzir investigações em casos de denúncias. Será que todos os lados são ouvidos igualmente? E quando as conclusões são apresentadas, qual foi o processo e qual o resultado? Considerando a confidencialidade e a natureza desses casos, talvez não tenhamos direito a saber todos os detalhes. Só precisamos ter certeza de que quando alguém levanta uma questão, essa questão é investigada de forma independente e todas as partes são ouvidas. Acho que isso é o mínimo que se espera.”

O CEO da McLaren também questionou a falta de comunicação da FIA com as equipes da Fórmula 1: “Nada nos foi explicado antes ou depois dessas investigações. Só sei o que li e o que vocês escreveram.”

Brown reconhece que nem todos os detalhes precisam ser revelados, mas defende que a FIA seja mais transparente sobre as investigações de Horner e Ben Sulayem. “Talvez um relatório resumido pudesse nos ajudar a entender melhor quais eram as preocupações, e por fim, que não houve nenhuma irregularidade. Isso nos daria um pouco mais de clareza”, concluiu o CEO da McLaren.