F1: Bearman vê chance na Haas em 2025, mas quer merecer a vaga

Oliver Bearman reconhece que a saída de Nico Hulkenberg da Haas abre caminho para sua estreia na Fórmula 1 como piloto titular em 2025, mas ressalta que não se sente ‘dono’ da vaga.

O anúncio da ida de Hulkenberg para a Sauber na próxima temporada abriu uma vaga na Haas para 2025. Bearman, piloto júnior da Ferrari, surge como favorito para substituir o experiente alemão, tendo participado de dois treinos livres pela equipe no ano passado. O britânico de 19 anos tem seis participações em treinos livres programadas com a Haas nesta temporada, começando neste fim de semana no GP da Emilia-Romagna em Ímola.

Suas chances na F1 aumentaram após substituir Carlos Sainz na Ferrari no GP da Arábia Saudita, conquistando um impressionante sétimo lugar com apenas uma hora de treino livre. No entanto, Bearman nega que esse feito lhe garanta um lugar permanente na categoria, enfatizando a necessidade de continuar a performar bem nas oportunidades que tem pela frente.

“Sim claro, vejo isso (saída de Hulkenberg) como uma chance”, disse Bearman. “Mas só porque há uma vaga disponível, não significa que eu tenha direito a ele. Ainda preciso batalhar e ganhá-lo com bons desempenhos na F2. E principalmente, nos seis treinos livres que farei na F1 com a Haas, preciso ter um bom desempenho e mostrar que estou pronto para conquistar a vaga”, acrescentou.

Apesar de o chefe da Haas, Ayao Komatsu, ter destacado que a avaliação se baseará mais em seus desempenhos na F1, Bearman não desistiu do campeonato da F2.

“É claro que sofri um revés na F2”, admitiu. “Mas agora que estamos na temporada europeia, onde conheço as pistas, tudo é possível. Já entendemos o carro um pouco melhor, então não vejo razão para não lutarmos pelo campeonato. Estou muito motivado para isso. Mas esses seis treinos livres (na F1) são, obviamente, seis grandes oportunidades para provar meu talento e do que sou capaz. Não coloco mais peso neles do que na F2, porque você precisa mostrar que pode competir e correr bem. A F1 não é só sobre fazer as voltas mais rápidas, é um equilíbrio”, acrescentou o jovem piloto.

Questionado sobre se Komatsu havia definido metas específicas para uma vaga em 2025, Bearman afirmou que não está trabalhando para expectativas nem da Haas nem da Ferrari. “Não estabeleceram metas para mim. Acho que a pressão vem principalmente de mim mesmo, porque costumo me pressionar muito. Só quero continuar aprendendo, evoluindo. Toda vez que piloto o carro de F1, ganho experiência. Ainda não fiz muitas voltas na F1 comparado aos outros pilotos, então só quero continuar melhorando e maximizando meu potencial”, disse ele.

Bearman pode estar próximo de fazer sua segunda participação em um GP de F1 nesta temporada, já que Kevin Magnussen está a dois pontos de uma suspensão de corrida após suas infrações em Miami e os dez pontos que acumulou em sua superlicença. Ao acumular doze pontos um piloto é impedido de participar da corrida seguinte, e isso pode acontecer com Magnussen este ano.

“Estarei no Canadá como reserva da Ferrari, mas também sou reserva da Haas, então claro, estou pronto”, disse Bearman. “Mostrei na Arábia Saudita que estou preparado, então se receber a ligação, entrarei no carro com prazer. Claro, não é a maneira ideal de disputar uma corrida, mas se acontecer, eu aceitarei o desafio”, finalizou o jovem piloto.

O F1MANIA.NET acompanha ‘in loco’ todas as atividades do GP da Emília-Romanha, diretamente de Ímola, com o jornalista Rodrigo França.