F1: Análise dos ritmos de Verstappen, Norris e das equipes antes da Sprint na Áustria

Max Verstappen garantiu a pole position para a Sprint no GP da Áustria pela oitava vez em 14 tentativas, mas enfrentou uma forte concorrência de Lando Norris, da McLaren, no Red Bull Ring. Os carros da McLaren, que trouxeram atualizações na asa dianteira e na suspensão, mostraram-se uma verdadeira ameaça ao atual campeão mundial durante os treinos e a Sprint Qualifying, sugerindo uma disputa acirrada pela vitória.

Verstappen, apesar de ter enfrentado um problema técnico no TL1 que causou uma bandeira vermelha, estava confiante com o desempenho do carro. Ele mencionou que a parada foi apenas um “problema com o sensor” que foi rapidamente resolvido. O holandês conseguiu ajustar o carro de forma eficiente desde o início e sentiu-se “muito forte”.

No entanto, Norris não facilitou para Verstappen. O britânico da McLaren mostrou um desempenho impressionante durante todo o dia, ficando apenas 0,093s atrás de Verstappen na Sprint Qualifying. As McLarens foram as mais rápidas nas curvas lentas e apenas um pouco mais lentas que a Red Bull nas curvas de velocidade média, indicando que podem desafiar a Red Bull durante a Sprint e a corrida principal.

A Mercedes focou no pneu duro na única sessão de treinos livres, visando a preparação para o Grande Prêmio de domingo. O desempenho nos trechos longos foi comparável ao de Barcelona, onde Lewis Hamilton conquistou um pódio e George Russell ficou em quarto. Na Sprint Qualifying, Russell teve um bom desempenho nos pneus médios, ficando em segundo nas duas primeiras partes da sessão, enquanto Hamilton descreveu sua performance como “desastrosa”.

A Ferrari teve um dia difícil na sexta-feira na Áustria, com os carros parecendo ser a quarta força, atrás de Red Bull, McLaren e Mercedes. Carlos Sainz foi o mais rápido dos dois, enquanto Charles Leclerc teve problemas em SQ3 e não conseguiu estar entre os seis primeiros.

A Alpine teve uma performance impressionante, com Esteban Ocon e Pierre Gasly se classificando em oitavo e nono, respectivamente, na Sprint Qualifying. Isso marca a primeira vez que a equipe alcança SQ3 nesta temporada, continuando sua recuperação na Áustria.

A Aston Martin também mostrou bom ritmo e pode ser uma ameaça para pontos na Sprint, com dados sugerindo que têm um ritmo melhor do que a Alpine em certas condições.

Com as equipes ajustando seus carros e estratégias, a expectativa é de uma Sprint e uma corrida principal altamente competitivas no Red Bull Ring, onde cada detalhe pode fazer a diferença.