F1: Alonso quer se dedicar a ajudar na carreira de jovens pilotos

Embora não estivesse presente em Baku nesta sexta-feira no evento anual de Gala da Fórmula 1, o espanhol Fernando Alonso, da Aston Martin, quase teve que ir. A premiação é obrigatória para os três primeiros colocados no campeonato de pilotos, e com seu quarto lugar, o espanhol superou jovens talentos como Charles Leclerc e Lando Norris em 2023.

Alonso e Lewis Hamilton pertencem a uma, talvez duas gerações passadas, e ambos ainda se mantêm firmes na F1. Claro, o piloto da Aston Martin quer se destacar, mas também vê um papel diferente para si, como afirmou em entrevista para a imprensa. Ele acredita ser importante ajudar os jovens pilotos a se desenvolverem no esporte.

“É importante, porque vejo muitos pilotos agora com essa paixão que eu tinha quando era jovem. Só lhes falta um pouco de conhecimento de como esse mundo funciona e o que é importante, o que não é importante, o que vai te dar coisas boas no futuro e o que vai te estressar. Na F4, na F3 e na F2, existe muito talento e preparação”, disse ele.

“Agora eles existem esses simuladores para casa. Eles têm essas academias de jovens pilotos nas equipes de Fórmula 1, etc. Os jovens só precisam de dois ou três conselhos e direções. Isso os ajudará a longo prazo no mundo do automobilismo. Então, estou feliz em fazer isso. E sinto a satisfação de todos que estamos juntos nesse projeto”, concluiu Alonso, que é proprietário de uma agência de gerenciamento de pilotos, da qual o brasileiro Gabriel Bortoleto, campeão da F3 em 2023 e que vai correr na F2 em 2024, faz parte.