F1: Alonso pede debate sobre regra de pneus após GP “chato” em Mônaco

Fernando Alonso defendeu uma abertura de discussões sobre as regras de pneus da Fórmula 1 em regime de bandeira vermelha, após o GP de Mônaco ter sido ‘comprometido’ pela situação.

O assunto voltou à tona após a corrida bastante ‘burocrática’ em Monte Carlo, onde os dez primeiros colocados permaneceram inalterados em relação ao grid de largada pela primeira vez na história.

Isso ocorreu como consequência da interrupção pela bandeira vermelha na primeira volta, que permitiu aos pilotos trocarem de compostos (cumprindo a regra obrigatória de utilizar dois compostos em um GP) e anulou possíveis variações estratégicas na prova.

Vários pilotos classificaram a corrida de 78 voltas como ‘chata’, já que todo o pelotão precisou poupar pneus para chegar ao final.

Alonso acredita que o único elemento que cria emoção em Mônaco foi erradicado no último fim de semana, devido a uma regra que talvez pudesse ser completamente removida.

“Quando há uma bandeira vermelha e você troca os pneus e vai até o final, acaba com o único ponto de interesse em uma corrida em Mônaco, que são os pit stops que você precisa fazer”, disse Alonso.

“Se você remover a emoção do pit stop, então não sobra nada. Talvez seja necessário reabrir a conversa sobre o que acontece em caso de bandeira vermelha. Não trocar pneus ou não ser obrigado a usar o mesmo composto, ou algo assim. Porque, do contrário, há certas ocasiões em que a corrida fica comprometida.”

No entanto, Alonso, que foi eliminado no Q1 e lamentou o tráfego que o impediu de avançar, admitiu que isso não explica o ritmo pouco competitivo da Aston Martin. “No nosso caso, fomos muito infelizes novamente”, continuou Alonso. “Acho que não tínhamos ritmo. Foi um fim de semana ruim. Sem dúvida sobre isso. Não podemos esconder nosso desempenho, mas também não podemos esconder que temos sido muito infelizes”, disse ele.

Grande parte da corrida do espanhol consistiu em rodar em ritmo lento, para ajudar o companheiro de equipe Lance Stroll.

Enquanto Stroll conseguiu abrir uma vantagem suficiente para parar e colocar pneus médios novos, um furo no pneu traseiro esquerdo após encostar na barreira da Nouvelle Chicane o fez cair na classificação.

Ainda assim, Alonso afirmou que acreditava estar defendendo a posição contra Daniel Ricciardo pelo último ponto, até que lhe informaram no final que havia terminado em 11º.