F1: Alonso critica punições com pontos na superlicença

Fernando Alonso discordou parcialmente da punição que recebeu no GP da Áustria de Fórmula 1, por ter colidido com Zhou Guanyu. O espanhol acredita que o sistema de pontos na F1 está sendo usado de maneira equivocada, penalizando severamente erros de pilotagem considerados normais em disputas acirradas.

Após o toque na curva 3 do Red Bull Ring, Alonso recebeu dez segundos de acréscimo no tempo de prova e dois pontos em sua superlicença. O piloto da Alpine teme que a direção de prova esteja punindo com rigidez situações que fazem parte das corridas.

“O objetivo dos pontos era evitar pilotos perigosos de acumularem punições sem suspensão”, afirmou Alonso em entrevista ao RacingNews365. “Era para punir manobras realmente arriscadas. Agora estão confundindo erros de corrida com direção perigosa.”

Alonso defende que a penalidade de tempo é justa por seu erro, mas questiona a aplicação de pontos na superlicença em casos assim. Ele citou Nico Hulkenberg da Haas, como outro piloto que cometeu um erro de corrida sem intenção de causar acidentes.

“Você devolve a posição, leva cinco ou dez segundos. É um erro de corrida, sempre vai acontecer,” afirmou o espanhol. “O sistema de pontos foi criado em 2014 e nenhum piloto chegou à receber uma suspensão de corrida.”

De acordo com Alonso, a distribuição de pontos por toques sem gravidade inibe as ultrapassagens disputadas. “Se você comete um erro, leva pontos. Então às vezes é melhor ficar atrás. Estão promovendo somente ultrapassagens com DRS. O sistema precisa ser revisto para não tirar a emoção das disputas”, finalizou o bicampeão de F1.