F1: Alonso considera 2023 sua melhor temporada desde 2012

O espanhol Fernando Alonso teve uma primeira temporada bem-sucedida com a Aston Martin, mas admitiu que a equipe de Silverstone não estava preparada para competir com as principais equipes da Fórmula 1.

A Aston Martin começou o ano de forma bastante forte, com Alonso conquistando seis pódios nas primeiras oito corridas. Essa evolução da equipe foi uma surpresa, já que havia terminado a temporada anterior em sétimo lugar no Campeonato de Construtores.

No entanto, conforme a temporada avançava, a Aston Martin se afastou da disputa pelo pódio e terminou a temporada em quinto lugar na classificação.

Apesar da queda de rendimento, Alonso afirmou que há poucos pontos negativos a serem tirados da temporada da Aston Martin.

“Vejo apenas pontos positivos”, disse Alonso. “Essas dificuldades fazem parte do trabalho e estou participando da jornada desta equipe. Acho que começamos muito fortes com um carro que era surpreendentemente competitivo, mesmo para nós com o salto do ano passado para este ano.”

“Talvez nos encontramos em uma posição para a qual não estávamos prontos, lutando com Mercedes, Ferrari, as principais equipes que estão acostumadas a lutar nesse nível. Talvez tenhamos retrocedido um pouco em termos de desenvolvimento do carro durante a temporada, ainda não estamos no topo. E nos encontramos um pouco menos competitivos agora”, acrescentou.

“Mas no geral, acho que era impensável doze meses atrás, neste estágio, pensar na temporada que fizemos. Me lembro perfeitamente do teste do ano passado após a corrida em Abu Dhabi com a equipe. Se alguém me dissesse que estaríamos nesta posição em que estamos hoje, eu não acreditaria”, disse o espanhol.

Alonso classificou o ano como o seu melhor na F1 ao lado de 2012, quando desafiou Sebastian Vettel pelo Campeonato de Pilotos como parte da equipe Ferrari. “Com o desempenho pessoal, eu acho, junto com 2012 é a melhor temporada para mim, a melhor temporada na minha pilotagem, e eu estava feliz com tudo. Estava motivado, estava em forma. Estava feliz com o desempenho em condições difíceis às vezes.”

O espanhol também listou os seus cinco melhores eventos da temporada, incluindo um GP em que não conseguiu terminar no pódio.

“Bahrein, Mônaco, Canadá, Monza e Brasil serão os meus cinco melhores do ano. E coloquei Monza de propósito porque foi um nono lugar. Não foi um pódio, não foi nada que as pessoas vão lembrar. Mas provavelmente tínhamos o carro mais lento em Monza, ou o segundo mais lento. E estar na zona de pontuação, foi um daqueles finais de semana em que tudo foi muito bom”, encerrou o bicampeão de F1.