F1: Alonso aposta em Stroll liderando a Aston Martin após sua aposentadoria

Fernando Alonso surpreendeu ao afirmar que vê Lance Stroll como futuro líder na Aston Martin, após sua aposentadoria da Fórmula 1.

Desde a chegada do espanhol à equipe na temporada passada, Alonso superou consistentemente o companheiro de equipe, muito mais jovem. Em trinta corridas juntos, Alonso conquistou oito pódios e 239 pontos, enquanto Stroll não subiu ao pódio nenhuma vez e soma apenas 85 pontos no mesmo período.

Apesar do desempenho superior, Alonso, o piloto mais experiente da Fórmula 1, afirmou ter abraçado o papel de liderança na Aston Martin. No entanto, ele acredita que Stroll assumirá esse posto quando ele se aposentar.

“Quando você chega à Fórmula 1, sente essa competitividade na equipe, na categoria”, disse Alonso ao The Times. “É algo intenso, mas você é um pouco tímido porque tem vinte e poucos anos e seus companheiros de equipe normalmente são mais velhos, têm mais experiência.”

“Agora me sinto o oposto, sou o mais velho, sou quem tem mais experiência e sinto essa responsabilidade sobre meus ombros, de liderar a equipe e tentar ajudar não apenas os engenheiros, mas também Lance. Estarei na equipe por muitos anos, mesmo quando não estiver pilotando, e Lance liderará essa equipe no futuro e sempre o apoiarei”, acrescentou.

Com 42 anos, Alonso recentemente renovou seu contrato com a Aston Martin até o final de 2026, quando a categoria entrará em uma nova era de regulamentos com mudanças significativas no chassi e motores.

O atual campeão, Max Verstappen, já expressou dúvidas sobre permanecer na F1 por tanto tempo quanto Alonso. No entanto, o piloto da Aston Martin afirmou que já pensou da mesma forma que Verstappen, mas percebeu que queria continuar correndo.

“Era o que eu pensava quando tinha a idade de Max”, disse Alonso. “Lembro que em 2007, assinei um contrato de três anos com a McLaren depois de ser campeão com a Renault. Tinha 200% de certeza de que era meu último contrato. Então, em 2018, pensei que seria minha última temporada e disse ‘adeus’ à F1, achando que já era suficiente para a minha carreira. Mas percebi que, mesmo quando decidi parar, eu não consegui”, finalizou o experiente espanhol.