F1: Albers questiona situação de ex-engenheiros da Red Bull em suas novas equipes

Quando uma equipe de Fórmula 1 ‘decola’, a tentação de ‘pescar’ talentos de seu plantel é quase inevitável para os outros times. A Red Bull não escapou disso. Em anos recentes, nomes como Dan Fallows e Rob Marshall migraram para Aston Martin e McLaren, respectivamente. No entanto, as performances das novas equipes desses engenheiros deixam dúvidas sobre seu real impacto.

Christijan Albers, ex-piloto de F1 e chefe de equipe, levantou questionamentos sobre o papel de Fallows na Aston Martin. O britânico assumiu o cargo de diretor técnico em meados de 2022, vindo da chefia de aerodinâmica da Red Bull. Sob sua liderança, o desempenho da Aston Martin despencou na segunda metade da última temporada. Enquanto outras equipes avançaram no desenvolvimento, a Aston Martin parece ter estancado, só se recuperando um pouco no final do ano.

“Isso, de certa forma, te faz pensar que talvez o papel dele na Red Bull não fosse tão importante assim”, escreveu Albers em sua coluna no Telegraph. “Caso contrário, o desenvolvimento do carro da Aston Martin teria sido bem melhor. Afinal, na realidade, só regrediu na segunda metade de 2023.”

Um contraponto interessante ocorreu na McLaren. A equipe começou a temporada 2023 de forma preocupante, mas após uma série de atualizações, chegou a incomodar a Red Bull em algumas corridas. Albers acredita que essa recuperação pode ser reflexo da saída do diretor técnico James Key em março ou, surpreendentemente, da ‘pré-chegada’ de Rob Marshall.

“Marshall ainda só assume oficialmente em janeiro de 2024, mas dificilmente não houve conversas antes disso”, afirmou Albers. “Ele carrega um enorme conhecimento da Red Bull na cabeça, e duvido que tenha guardado tudo para si…”

Embora não haja confirmação oficial, a suspeita de Albers levanta uma hipótese. Será que, mesmo antes de se juntar oficialmente à McLaren, Marshall estaria influenciando secretamente o desenvolvimento do carro? Seja qual for a explicação, o contraste entre as trajetórias de Aston Martin e McLaren após a chegada de engenheiros vindos da Red Bull certamente dá o que pensar.