Chefe da Aston Martin mostra confiança na F1 sobre corridas no Oriente Médio

Mike Krack apontou que é necessário confiar na F1. O chefe da Aston Martin afirmou que a categoria e seus conselheiros de segurança sabem os passos que estão dando em relação a potenciais problemas trazidos pelas tensões do Oriente Médio.

A relações entre inúmeros países da região estão extremamente voláteis, trazendo preocupações, especialmente sobre a guerra entre Israel e Palestina.

Nas últimas semanas, navios no Mar Vermelho foram atacados pelo grupo rebelde Houthi, baseados no Iêmen. Acontece que a facção foi a responsável pelos ataques de mísseis na base da Aramco durante o GP da Arábia Saudita de 2022.

Para a temporada 2024 da F1, as duas primeiras etapas acontecem também na região, Bahrein e Arábia Saudita. Entretanto, Krack minimizou o fato. “Estivemos em contato com a F1 e seus conselheiros de segurança”, comentou o dirigente.

“Não há nenhuma real preocupação de ir correr nesses dois lugares. Temos confiança na F1 e em seus conselheiros sobre esse assunto. Fomos contratados para o campeonato e para correr onde nos levarem e é isso que estamos fazendo”, concluiu.