Realdrive Le Mans 24h F1BC: Union Esports e Reis Office SimRacing vencem a edição 2024

A edição 2024 da Realdrive Le Mans 24h F1BC teve neste final de semana (8 e 9 de junho) um evento aclamado por muitos como o maior do ano no cenário do automobilismo virtual brasileiro, e não poderia ser diferente: com mais de 40 carros, entre Hypercars e GT3, e mais de 25 horas de transmissão ao vivo contínua, a prova finalizou com vitórias da Union Esports nos protótipos, e da Reis Office SimRacing nos gran turismo.

A formação da Union Esports no Cadillac V-Series.R GTP #22 contou com André da Croce, Daniel Marttins, Matheus Dias, e João Pessatto, completando 363 voltas ao todo e assumindo a liderança após a mesma passar pelas mãos de Bengutan Racing, Energy SimSport, AC7 e-Racing Team, Bravo Snow Schatten Esports, e NORG Racing.

Já a Reis Office Racing colocou seus dois carros em condições de vitória e alternaram bem na liderança, com um carro superando outro quando as adversidades surgiam, e a BMW M4 GT3 conduzida por Rodrigo Lara, Lucas Peck, Vinicius Neto, e Douglas Soares foi a vitoriosa, completando 325 voltas.

A corrida contou com vários trechos sob chuva no simulador iRacing, e com baixas temperaturas o asfalto custou a secar nos períodos sem nuvens. Um desafio constante que para muitos foi a primeira experiência do tipo, e para a maioria a maior prova de superação em suas carreiras. Ainda assim, dos 42 carros que largaram, 32 foram até a bandeira quadriculada, um número excelente.

O F1BC Esports agradece toda participação de equipes, pilotos, espectadores, e todos seus colaboradores neste grande evento, além dos patrocinadores @criapubli e @realdrive.tech.

Confira a transmissão ao vivo, que teve 3 links devido a longa duração:
Parte 1 – https://www.youtube.com/watch?v=whj4unUg4BQ
Parte 2 – https://www.youtube.com/watch?v=SLHP8VUtMrY
Parte 3 – https://www.youtube.com/watch?v=aU7fecJarWE

Na classificação, a Energy SimSport com Eduardo Borgert foi a mais veloz com a volta em 3min21s176, seguida por Bengutan Racing com Luiz Felipe Tavares, a AC7 e-Racing Team com Emanuel Santos, a Union Esports com Matheus Dias, e a Sprint Simuladores com Erick Schotten.

Nos GT3, a Fritadas Racing Team foi a pole position com Matheus Machado, seguida por AC7 e-Racing Team com Dani Ramos, Grip Racing com Matheus Beraldo, Reis Office SimRacing com Vinicius Neto, e Richard’s Racing com Estevão Lourenço.

HORA 1

A largada foi excelente, com os pilotos em fila indiana se respeitando, e mesmo o pelotão dos GT3 partindo com uma distância segura em relação aos Hypercars. O carro #171 manteve a ponta com Eduardo Borgert, enquanto a sequência tinha o #919 com Luiz Felipe Tavares, e o #12 contava com Emanuel Santos.

Os primeiros incidentes foram em erros individuais: Nicholas Luhrs rodou e destruiu a traseira da BMW #04 da Myth e-Sports, enquanto Ayvon Amorim também acertou o guard-rail com a BMW M4 GT3 #44 da 4Nerds BR.

HORA 2

Borgert e Tavares seguiam em um ritmo alucinante na ponta, separados por menos de meio segundo por boa parte do tempo. Para Tavares, poderia valer uma estratégia de poupar algum combustível, aproveitando o vácuo Emanuel ficou mais de 30 segundos atrás, e o Top 5 ficava completo com Matheus Dias (#22 da Union Esports) e Cesar Cabral (#70 da Race2Esport).

Raphael Lippi teve problemas de conexão e perdeu tempo para o protótipo #95 da Bravo Snos Schatten. Já Andre Krebs, a bordo do protótipo Porsche da OLF Racing viu um acidente do GT3 de Junior Vasconcelos na última chicane e perdeu tempo, tocando a lateral da Ferrari 296.

Na GT3, Matheus Beraldo (#31 Grip Racing) seguia com menos de 10 segundos de diferença para o líder Matheus Machado (#69 Fritadas Racing Team), e a mesma diferença era vista para Vinicius Neto, com a BMW M4 GT3 #9 da Reis Office SimRacing.

Após os pit stops, a Benguntan manteve Tavares, mas a Energy viu Borgert passar o volante para Renan Azeredo. A AC7 viu Luizinho Gonzaga assumir o carro #12. A Union passou a ter Daniel Martins, e a Race2Esport viu Marc de Fulgencio estrear.

Ao final da 2ª hora, Azeredo passava pela Ferrari 296 de Estevão Lourenço, mas um contato deixou tanto o Hypercar rodado, quanto o GT3 batido no guard rail. Passava portanto Tavares para a liderança dos protótipos.

HORA 3

Começou todo burburinho à espera da chuva. Ainda que com as chances dos primeiros pingos se prolongando em zero, tudo indicava um aumento para até 30% de chances ao final deste período, e o tempo já era bastante nublado.

A Bengutan passou a contar com João Di Gregório na liderança, com duas voltas na casa de 3min25s, enquanto Adaildo Vieira assumiu o bólido da Energy mas fez um giro em 3min31s, perdendo tempo com uma escapada e vendo a diferença aumentar para quase 1 minuto. Pouco depois, o inverso ocorreu com Vieira sendo mais rápido, e Gregório abaixo de seu ritmo inicial.

Nos GT3, Matheus Machado seguiu na frente pela Fritadas, e a Grip revezou o volante agora com o retorno de Fernando Horta, agora vivendo no Canadá, porém enfrentando um problema sem o force feedback de seu volante, tirando leite de pedra. A Reis Office partiu para uma troca também, com Douglas Soares.

HORA 4

A movimentação nas trocas dos carros foi maior neste trecho. Chefe da AC7, Alexandre Cunha entrou na BMW #7, botando pressão nos rivais com bons tempos de volta na quarta posição geral dos GT3. Mas a Fritadas colocou um piloto de altíssimo nível, também: Gabriel Felipe, que já faturou títulos no F1BC Esports. A Reis Office tinha Lucas Peck, e a Grip Racing contava com Carlos Junior, um dos primeiros pilotos da história do F1BC. Era uma briga de gigantes.

Nos Hypercars, nada mudava nas duas primeiras posições, enquanto em terceiro Henrique Pettinari assumia o foguete da AC7, seguido por João Pessatto da Union Esports, e João Paulo com o #11 da NORG Racing.

A Target Racing passava a ter Leandro Massari, buscando recuperar o ritmo com o Hypercar #21 na lanterna de uma classe onde poucos carros tinham dores de cabeça, passando bem pelos GT3. Era um trecho de 4 horas de excepcional nível.

HORA 5

Chove em Le Mans! Alguns pilotos começam a cometer erros, mesmo com pneus de chuva sendo trocados. Um incidente com retardatário deixou o protótipo da Energy bem avariado, nos boxes em busca de reparos. A Bengutan, com isso, abria vantagem maior, com Di Gregório mantendo o volante.

A Projeto Razzo Gear1 aparecia bem com o time de Hypercars, e Felipe Pinheiro era o quinto colocado com a chuva em plenitude. Mesmo a Bravo Snow Schatten se recuperava um pouco da queda de seu piloto, fazendo um trecho longo com Gabriel Pecly, sempre muito forte.

Roger Capeletti rodou e Andre da Croce não conseguiu desviar, em indicente de dois Hypercars que mexeu na ordem – o bólido da Cappel Racing caiu para a última posição da classe após reparos nos boxes.

HORA 6

Com a chuva castigando os pilotos, a experiência em piso molhado contava cada vez mais. Gabriel Felipe, que já foi campeão em Assetto Corsa Competizione no f1BC Esports, fez um trecho fortíssimo e liderou sobre Lucas Peck. Mas a Reis Office comemorava pois tinha dois times no pódio, com o segundo carro sob o comando de Jonathan Fonseca, e pouco depois passando para Henrique Souto.

Nos Hypercars, a Bengutan seguia a frente com Alexandre Spanholo, com a AC7 agora em segundo com Emanuel Santos, e a Peojeto Razzo Gear1 era terceira, com Valdo Raya. Mas rodadas não faltaram, com os pilotos enfrentando dificuldades com pisadas sobre as zebras, linhas brancas, ou mesmo balanço de freio, em condições como estas precisando serem mais dianteiros.

HORA 7

Com a noite quase caindo, algumas histórias foram de pura superação. Jaime Boueri subia de 20º para 12º em seu stint com o carro da Info2Speed, enquanto a Fritadas teve problemas e caiu bastante na ordem, deixando os dois times da Reis Office na liderança do GT3, com Vinicius Neto e Gustavo Neves.

O acidente plasticamente mais forte na sessão foi com Adilson Junior, perdendo a freada do Hypercar #13 da Sprint Simuladores e acertando de frente a barreira de pneus, após aquaplanar. A Bengutan seguia a frente com Alexandre Spanholo a bordo.

HORA 8

Caiu a noite no Circuit de La Sarthe, e a Grip Racing tinha o destaque nos GT3 ao subir para a segunda posição, com Tarcilo de Assis dominando bem o carro #31 – até ir aos boxes e devolver os Reis Office em primeiro e segundo. A AC7 aparecia em quarto com Marcelo Mattos, e a Aclat Racing em quinto com Renato de Paula, mas este bateu e danificou sua Ferrari 296 GT3.

Nos Hypercars, A Enerdy Simsport tinha o mais veloz em pista: Borgert sabia que precisava tirar a diferença, fazendo os melhores tempos de pista. Ainda assim o #6 ocupava a quinta posição, com três giros de desvantagem. Bengutan (Spanholo), Emanuel (AC7), e Gear1 (Raya) eram Top 3.

HORA 9

O desastre bateu à porta da Bengutan Racing, com Alexandre Spanholo batendo forte de frente em uma barreira de pneus, e deixando estacionado o #919 para um longo reparo. Era a vez da AC7 liderar com Emanuel Santos passando o volante para Luizinho Gonzaga.

A essa altura a Target Racing já era sétima colocada, seguida pela Bravo Snow Schatten, OLF, e Race2Sport, com histórias de superação para estas escuderias.

A pista foi secando, e os desafios continuavam. Junior Cardoso perdeu o controle do GT3 da Melissa Competições, e Di Gregório vinha com o Hypercar da Bengutan e desviou por muito pouco, ainda resvalando no guard rail.

HORA 10

Com a noite plena e a pista demorando a secar, o desafio seguia para muitos pilotos. Luizinho Gonzaga passou o carro #12 para Murilo Leonel. Em segundo, Felipe Pinheiro fazia belo trabalho com o bólido da Projeto Razzo Gear1.

Problemas para a Energy Simsport e para a Sprint Simuladores, com Renan Azeredo e Erick Schotten ambos batendo e gerando grandes danos aos seus protótipos. Ao final da hora, a Bengutan também viu Alisson Ferreira perder o controle e bater.

Entre os GT3, a AC7 também se animava com Samuel Marques subindo ao terceiro posto, enquanto o líder da Reis Office era o primeiro a superar um protótipo em movimento, sob o comando de Rodrigo Lara.

HORA 11

A pista secou quase totalmente, para a alegria dos pilotos. Mas aqui a ordem mudou pouco, com AC7, Gear1, e NORG no Top 3, enquanto na GT3 os Reis Office formavam a dobradinha (Paulo Andrade e Douglas Soares), a frente de AC7 (Samuel Marques), Fritadas (Matheus Machado) em recuperação, e Ghost Team Renegades (Alan Oliveira).

A Union se atrasou com uma passagem pelo pitlane após um incidente com o GT3 da HUB Racing. Mas os acidentes se intensificaram com duas pancas dos GT3 nos protótipos, e aí o drama bateu à porta de Projeto Razzo Gear1, que caiu de segundo para quinto na ordem, e a Target, que fazia bela recuperação mas levou uma traulitada e perdeu muito tempo.

HORA 12

Enquanto a AC7 seguiu na ponta, a NORG Racing apareceu em segundo, e a Union Esports aplicou uma bela recuperação, surgindo em terceiro. A Projeto Razzo gear1 e a Bravo Snow Schatten completavam o Top 5.

Nos GT3, Reis em dobradinha, depois AC7, Ghost, e Fritadas, em um trecho de poucas mudanças, mas com bons pilotos assumindo os carros pela primeira vez.

Nomes como Vinicius Dean, Colin Alexander, Rafael Mariot, Douglas Godoy, Samuel Muzio, Luigi Travi Raya, Jefferson Gonçalves, Gabriel Abate, entre outros apareciam em destaque na transmissão ao vivo.

HORA 13

Incidente com a AC7, então líder dos Hypercars, e assim a liderança foi para as mãos da NORG Racing, com Vinicius Dean passando o carro #11 para o irmão Pedro Dean. João Pessatto já tinha o carro da Union Esports se recuperando em segundo, e Henrique Poletti trouxe o Cadillac da AC7 no terceiro lugar.

Nilton Bagne com o Gear1 em quarto, e Lucas Murno com o Bravo Snow Schatten em quinto, eram os concorrentes à vitória neste momento, já com quase nenhum ponto de piso molhado.

Nos GT3, nova inversão entre os dois carros da Reis Office, com Henrique Souto parando nos boxes e retornando atrás de Vinicius Neto.

HORA 14

A chuva voltou e com isso as mudanças quase imediatamente ocorreram, principalmente na liderança dos Hypercars: Thierry Estevam vinha forte mas pegou a linha branca, já molhada, e bateu forte na entrada da Indianápolis, deixando a ponta.

A Union Esports comemorou o retorno a liderança com Daniel Marttins, enquanto Henrique Poletti pela AC7 era o segundo colocado, com um minuto e meio de diferença. Raphael Lippi voltou ao #95 da Snow Schatten.

Lucas Peck e Jonathan Fonseca levavam os carros da Reis Office ao amanhecer, enquanto Glauber Cardoso era o terceiro. Renan Nascimento passou o GT3 da Devils e-Sports para Ramon Oliveira em busca da recuperação.

HORA 15

A ordem era Daniel Marttins, Henrique Poletti, Lucas Murno, Felipe Pinheiro, e Thierry Estevam no Top 5, enquanto a sequência dos protótipos mostrava Adam Brendamour, Arthur Figueiredo, Caio Gaspar, Rafael Amaral, e Gustavo Thomé.

Entre os GT3, Lucas Peck era o pinteiro, a frente de Jonathan Fonseca, Glauber Cardoso, Bruno Ricci, Dani Ramos, Denis Braghetti, Max Schrapper, e Roberto Baldissera.

HORA 16

Amanhecendo em Le Mans, a chuva persistiu e a ordem mudou pouco, com Martins, Leonel e Murno no Top 3 da Hypercars, e Peck, Fonseca e Colette como três melhores nos GT3.

Faltando 13 minutos para fechar a hora, Lucas Peck bateu forte o GT3 da Reis Office, deixando a ponta para os parceiros do carro irmão, com Fonseca em primeiro, e Douglas Soares voltando em segundo com mais de 50 segundos de vantagem.

HORA 17

Matheus Dias assumiu o carro líder dos protótipos, com Murilo Leonel seguindo em segundo, e Lucas Murno em grande destaque sendo terceiro e mais veloz dos três, descontando volta em relação ao rival da AC7. Antenor Junior (Gear1), Andre Krebs (OLF), e Robert Biewener (Race2esport) apareciam na sequência.

Gustavo Neves curtia a liderança agora com quatro minutos de vantagem sobre Douglas Soares, enquanto Paulo Colette, Matheus Machado, e Marcelo Mattos ficavam no Top 5.

HORAS 18 A 20

A chuva apertou na manhã já estabelecida, e Pettinari tinha o volante da AC7 com um bom ritmo, mas ainda perdendo um pouco no volta a volta para Daniel Marttins. Raphael Lippi assumiu por um longo período o protótipo da Snow.

Na GT3, Rodrigo Lara era o líder na Reis Office, com Gabriel Felipe pegando o bólido da Fritadas – e imprimindo ritmo fortíssimo – , enquanto o segundo carro da Reis Office estava com Paulo Andrade. Alan Oliveira e Alexandre Cunha pegaram seus carros no Top 5.

HORA 21

Daniel Martins voltou do pit stop a menos de 5 segundos em relação a Luizinho, que parou sete voltas antes. Este gap chegou a parar nos dois segundos, e a briga esquentou com muita pressão para ambos os lados.

Raphael Lippi seguia bem em ritmo de prova, e Sascha Geier aparecia no evento com o quarto posto, e Sergio Vida voltou ao volante do Projeto Razzo Gear 1.

Uma escapada de Luizinho fez Daniel assumir a ponta com o carro da Union. Ficava ainda colado o volante da AC7, mas era incerto a extensão dos danos causados pelo toque no guard rail.

HORA 22

A AC7 deixou para Henrique Pettinari a missão de buscar a recuperação, mas um acidente piorou a situação e exigiu reparos no bólido #12. A partir daí, Matheus Dias liderava o Union Esports #22 com duas voltas de vantagem.

Na GT3, seguia Douglas Machado, Matheus Machado, e Jefferson Gonçalves no Top 3 de dois carros da Reis Office e um da Fritadas Race Team.

HORA 23 A 24

O tempo começou a se abrir, mas não o suficiente para interromper a garoa e muito menos para secar a pista. Os pilotos teriam de seguir em frente até a bandeira quadriculada nestas condições, em uma verdadeira prova de fogo.

André da Croce foi o nome a levar o Cadillac #22 da Union Esports para a bandeira quadriculada na primeira posição, no time completo com Joao Pessatto, Matheus Dias, e Daniel Marttins.

A Bravo Snow Schatten #95, único Acura no grid, cruzou a linha de chegada na segunda posição sob o comando de Felipe Sousa, no time que teve ainda Gabriel Pecly, Lucas Murno, Raphael Lippi, e John Palauro. Infelizmente Felipe não completou as 3 horas mínimas de stint e a Snow ficou de fora do resultado oficial.

Assim, o segundo lugar foi para a AC7 e-Racing Team, com Henrique Poletti liderando o time com Henrique Pettinari, ⁠Luizinho Gonzaga, ⁠Murilo Leonel, ⁠e Emanuel Santos.

Terceiro posto para a a OLF Racing, com Adam Brendamour a bordo do Cadillac #26, que teve ainda Sebastian Gianni, Luke Maxwell, Andre Krebs, e Sascha Geier.

Em quarto, a Race2Esport foi capitaneada por Arthur Figueiredo, comemorando com os parceiros Cesar Cabral, Marc De Fulgencio, Robert Biewener, e Marcos Eberhardt.

Fechando o Top 5, a Race2Esport foi persistente e valeu a pena com Cesar Cabral, Arthur Figueiredo, Marcos Eberhardt, o espanhol Marc de Fulgencio, e o alemão Robert Biwener.

Na GT3, Rodrigo Lara levou a BMW M4 GT3 #9 da Reis Office SimRacing para a vitória, no time que teve ainda Lucas Peck, Vinicius Neto, e Douglas Soares.

Em segundo fechou Matheus Machado com a Ferrari 296 GT3 da Fritadas Racing Team número 69, em time que contou com Bruno Ricci, Felipe De Magalhaes, e Gabriel Felipe.

Fechando o pódio surgiu a outra BMW da Reis Office, com Gustavo Neves finalizando a prova em comemoração com os parceiros Paulo Andrade, Henrique Souto, Jefferson Luis, e Jonathan Mendes.

Em quarto, Alan Oliveira recebeu o pano xadrez com a Ferrari 296 GT3 da Ghost Team Renegades, no time que contou com Paulo Colette, Glauber Cardoso, e Henrique Oliveira.

Top 5 e final de ordem, a Bassan Motorsport teve Denis Braghetti fechando as 24 horas, com Bruno Bassan, Ageu Junior, Ronny Goes, e Vinicius Burin neste belo time.

Final, 24 horas
1 [HYP] Union Esports #22, 363 voltas
2 [HYP] AC7 e-Racing Team #12, +5 voltas
3 [HYP] OLF Racing #26, +8 voltas
4 [HYP] Race2Esport #70, +14 voltas
5 [HYP] Projeto Razzo Gear1 #89, +16 voltas
6 [HYP] Target Racing #21, +20 voltas
7 [HYP] Overmind Racing #28, +29 voltas
8 [HYP] Chucky Racing #24, +31 voltas
9 [GT3] Reis Office SimRacing #9, +38 voltas
10 [GT3] Fritadas Racing Team #69, +38 voltas
11 [GT3] Reis Office SimRacing #29, +40 voltas
12 [GT3] Ghost Team Renegades #15, +41 voltas
13 [GT3] Bassan Motorsport #3, +44 voltas
14 [GT3] Projeto Razzo Gear1 #816, +44 voltas
15 [GT3] Scuderia Vedovelocitta #555, +45 voltas
16 [GT3] Bravo Snow Schatten #88, +46 voltas
17 [GT3] HUB Racing #85, +46 voltas
18 [GT3] Grip Racing #39, +52 voltas
19 [GT3] Richards Racing #38, +59 voltas
20 [GT3] Murissoca Racing Team #777, +61 voltas
21 [GT3] Info2Speed Racing by AGR #97, +63 voltas
22 [GT3] MidiaSom Esports #35, +66 voltas
23 [HYP] RPK e-Sports #444, +68 voltas
24 [GT3] Myth e-Sports #04, +71 voltas
25 [GT3] Torresmo Racing #2, +71 voltas
26 [GT3] R2A2 Motorsports #30, +74 voltas
27 [GT3] 4Nerds BR #44, +111 voltas
28 [GT3] Scuderia Minardi Faenza #77, +195 voltas
— [HYP] Bravo Snow Schatten #95, +2 voltas
— [HYP] Cappel Racing #75, +34 voltas
— [GT3] Devils e-Sports #40, +46 voltas
— [GT3] Aclat Racing #41, +47 voltas
— [HYP] Academia GP #99, +48 voltas
— [HYP] Energy Simsport #6, +59 voltas
— [GT3] AC7 e-Racing Team #7, +77 voltas
— [GT3] HUB Racing #86, +115 voltas
— [HYP] NORG Racing #11, +116 voltas
— [HYP] Sprint Simuladores #13, +146 voltas
— [HYP] Bengutan Racing #919, +213 voltas
— [GT3] Grip Racing #31, +231 voltas
— [GT3] Melissa Competições #787, +253 voltas
— [GT3] Hardline Race Team #287, +296 voltas

Race Control
#95 Felipe Sousa não completou mínimo de 3h (2.1.3)
#75 Bruno Heuser não completou mínimo de 3h (2.1.3)
#40 Renan Nascimento não completou mínimo de 3h (2.1.3)
#41 Lorenzo Roth não completou mínimo de 3h (2.1.3)
#99 Leonardo Barreira não completou mínimo de 3h (2.1.3)
#6 Renan Azeredo não completou mínimo de 3h (2.1.3)
#7 Lucas Bueno não completou mínimo de 3h (2.1.3)
#86 Bruno Melo não completou mínimo de 3h (2.1.3)
#11 Rodrigo Zanchetta não completou mínimo de 3h (2.1.3)
#13 Daniel Nino não completou mínimo de 3h (2.1.3)
#919 Luiz Felipe Tavares não completou mínimo de 3h (2.1.3)
#31 Nenhum piloto completou mínimo de 3h (2.1.3)
#787 Nenhum piloto completou mínimo de 3h (2.1.3)
#287 Nenhum piloto completou mínimo de 3h (2.1.3)