Pilotos pedem redução de Sprints na MotoGP: “queremos uma solução melhor”

A temporada de 2023 da MotoGP trouxe as corridas Sprint como principal novidade esportiva. As novas provas, com a metade da duração das corridas principais, dobraram o número de provas por ano, e por serem mais curtas agitaram mais os finais de semana de corrida.

Porém, com muitas contusões durante o ano, vários pilotos acreditam os problemas físicos são uma consequência.

“As corridas sprint são boas para o show, mas muito exigente para os pilotos”, disse Marc Márquez. “Minha opinião pessoal é que não é fácil fazer 22 corridas e mais 22 corridas sprint em 2024”.

“Mas é verdade que é bom para o espetáculo e às vezes a Sprint é ainda melhor que a corrida principal. Porque para mim as corridas principais são muito longas, há algumas voltas no meio onde nada acontece e então as corridas Sprint são melhores. Mas uma das coisas que preocupa um pouco mais os pilotos é o nível de lesões que temos este ano. Portanto, é algo a ser analisado para o futuro”.

Fabio Quartararo foi mais fundo: “foi uma temporada difícil e muito longa com todos as Sprints e acho que não é necessário fazer Sprints em todas as corridas”.

“As lesões não são uma coincidência, é um grande problema. Acho que já é um esporte perigoso, mas como piloto posso garantir que às vezes na corrida sprint você fica muito mais cansado do que na corrida longa. E fisicamente, a moto que usamos é cada vez mais física. A F1 só faz algumas Sprints… não sou o cara que organiza tudo e não conheço a opinião de todos os outros pilotos, mas não acho que seja o caminho correto.”

Luca Marini também destacou o maior número de lesões: “na minha opinião pessoal, sofri duas lesões nesta temporada e é difícil quando você tem que correr tantas corridas e não tem tempo para se recuperar entre uma corrida e outra”.

“Se você fizer outra corrida no sábado, será ainda mais difícil porque você terá que forçar seu corpo machucado a 100% por dois dias. No ano passado, com o TL4, tudo era mais fácil. Precisamos encontrar uma solução melhor para as lesões, para a segurança da situação e para todas as coisas que aconteceram nesta temporada.”

Aleix Espargaró acredita que as Sprints são importantes, mas que as contusões são uma consequência: “não é uma coincidência. Se há muitos machucados, há um grande motivo. Quer dizer, está claro, o calendário, as Sprints. É insustentável.”

“Você acha que nós, os pilotos, em todas as comissões de segurança, não pressionamos para reduzir o número corridas Sprint? Mas entendo também a posição do campeonato. Algumas pistas no ano passado estavam vazias.”

“Dizem que o público melhorou muito este ano e acreditam que é por causa das corridas Sprint. Eu não tenho certeza.”