Guenther conquista a vitória para a Maserati no primeiro E-Prix de Tóquio

Maximilian Guenther, da Maserati MSG Racing, conquistou a vitória no primeiro E-Prix de Tóquio, batendo o pole-sitter Oliver Rowland (Nissan Formula E Team) e marcando o momento histórico em que a Fórmula E incluiu mais um piloto à lista de vencedores da sua já tão acirrada décima temporada.

Em uma empolgante demonstração de habilidade e estratégia, Maximilian Guenther foi o vencedor na primeira visita da Fórmula E ao Japão. A vitória do piloto, alcançada após um movimento estratégico rumo à liderança na volta 24, marca a primeira vitória de sua equipe desde Jacarta, na nona temporada, e é a quinta vitória de sua carreira na série.

Entretanto, o caminho de Guenther até a vitória não foi isento de dificuldades, já que o piloto teve que enfrentar a forte concorrência de Oliver Rowland, que buscava o triunfo para a equipe local, Nissan Fórmula E Team. O piloto alemão se posicionou habilmente no vácuo de Rowland, conservando energia para um impulso decisivo no final da corrida. Apesar dos esforços de Rowland para recuperar a liderança diante dos fãs da Nissan, Guenther defendeu com sucesso a sua posição, frustrando três tentativas de ultrapassagem na última volta.

O E-Prix de Tóquio também reforçou a tendência de uma temporada altamente disputada, com cinco vencedores diferentes de cinco equipes distintas nas cinco primeiras corridas da 10ª temporada. Este nível de competição intensificou a luta pelo campeonato, com os três primeiros colocados frequentemente separados por menos de um segundo, e todo o pelotão localizado em um intervalo de menos de 10 segundos de diferença.

O atual campeão Jake Dennis, da equipe Andretti Formula E, demonstrou mais uma vez sua habilidade ao cruzar a linha de chegada na terceira posição, à frente da dupla da Tag Heuer Porsche Formula E Team, António Félix da Costa e Pascal Wehrlein, este último agora líder do Campeonato Mundial de Pilotos.

Norman Nato, com o outro carro da Andretti, ficou em sétimo na ordem final, seguido por Nico Mueller, da equipe ABT CUPRA Fórmula E, que garantiu o sexto lugar, enquanto Nick Cassidy terminou em oitavo, depois de ter largado na 19ª posição. As dez primeiras posições foram completadas por Robin Frijns (Envision Racing) e Sérgio Sette Câmara (ERT Formula E Team).

Wehrlein chegará a Misano em duas semanas com dois pontos de vantagem sobre Cassidy na classificação do Campeonato de Pilotos, ao passo que a Jaguar TCS Racing lidera o Campeonato Mundial de Equipes, com 100 pontos, seguida pela TAG Heuer Porsche, com 83 pontos.

Maximilian Guenther, da Maserati MSG Racing, disse: “É incrível termos corrido aqui. É uma cidade e um país tão bonitos. Adoro a cultura daqui, e nos sentimos muito bem-vindos”.

“É um circuito fantástico, muito exigente e técnico, e vencer o primeiro E-Prix de Tóquio é uma sensação incrível. Acho que no geral podemos estar muito orgulhosos do que fizemos neste fim de semana: estar entre os três primeiros em todas as sessões, sempre lá no topo, e depois sair com o troféu de vencedor. É incrível.”

“Acho que executamos muito bem a corrida, a estratégia foi boa e fiz alguns bons movimentos para avançar, e depois nos defendemos de Ollie até a última volta. Estava muito acirrado. Não foi fácil, acho que o surpreendi na curva 10.”

Oliver Rowland, da NISSAN Formula E Team, disse: “Eu estava conseguindo consumir menos e mantê-lo atrás (Guenther), antes do Safety Car, mas sabia que seus objetivos em termos de energia provavelmente estavam aumentando e, infelizmente, depois do Safety Car, o objetivo caiu significativamente. O delta de tempo por volta aqui é bastante agressivo em termos de quanto tempo por volta você perde ao diminuir o objetivo de energia, então eu estava em uma posição que, se tivesse ficado fora por mais tempo, provavelmente teria ultrapassado mais”.

“Acho que ele fez um bom trabalho, é um daqueles casos em que acho que se pudesse fazer de novo, não sei o que faria de diferente. Acho que maximizamos o que podíamos, mas estávamos quase lá, o que é bastante frustrante.”

(Sobre sua pole na qualificação) “Acho que foi um elemento importante ter os chefões na garagem, conhecer suas expectativas, e é incrível ver todo o apoio que a Nissan tem”.
Jake Dennis, da Andretti Formula E Team, disse: “Tive alguns meses difíceis, houve algumas mudanças no carro que não me agradaram em nada. No geral, tivemos problemas este ano, alguns dias foram bons e outros ruins, e este fim de semana foi provavelmente a primeira vez em que me senti confortável com o carro. Para mim, o quinto lugar hoje (na qualificação) foi como uma pole. Não pensei que me classificaria tão bem, mas nas corridas somos sempre rápidos”.

A próxima rodada da Fórmula E será o E-Prix de Misano, com duas corridas nos dias 13 e 14 de abril.