Horner nega que impedimento da Andretti na F1 seja por ser americana

A novela envolvendo a possível entrada da equipe Andretti na Fórmula 1, continua rendendo polêmica. Após Michael Andretti ter o pedido negado pela FOM (Formula One Management), mesmo tendo sido aprovado pela FIA, várias trocas de farpas se tornaram frequentes. A alegação de que a equipe não agregaria valor por ser americana, irritou Christian Horner, chefe da Red Bull Racing.

“Nós somos uma empresa americana”, disse Horner se referindo à proprietária da F1, Liberty Media. “Temos cinco empresas da Fortune 500 (lista das maiores empresas dos EUA) como patrocinadoras. Acho que isso não tem nada a ver com a Andretti ser americana. Na minha opinião, é puramente sobre o modelo de negócios da Fórmula 1.”

Horner defendeu a Liberty Media e lembrou a saída recente de equipes por questões financeiras. “Finalmente chegamos a um ponto de grande força e saúde (financeira) na F1. A Liberty tem que ser parabenizada por isso. Criaram um modelo onde até a pior equipe tem uma valorização de provavelmente um bilhão de dólares. Eles (Liberty) merecem elogios pela abertura da categoria e atração de novos fãs”, acrescentou.

Por fim, Horner aconselhou a Andretti. “Se eles realmente querem entrar no grid da F1, encontrarão um jeito. Acredito que a solução mais natural seja adquirir uma equipe atual do grid, caso alguma esteja à venda”, completou o chefe da Red Bull.