F1: Wolff mantém confiança na recuperação da Mercedes ainda este ano

Apesar de um começo de temporada na Fórmula 1 em 2024 abaixo do esperado, o chefe da equipe Mercedes, Toto Wolff, se mostrou confiante em uma melhora boa evolução do time. A equipe conquistou apenas uma vitória desde a implementação do novo regulamento em 2022 (no GP de São Paulo em 2022 com George Russell), após uma sequência de oito títulos de construtores consecutivos.

Depois de abandonar o conceito aerodinâmico ‘zeropod’, a Mercedes acreditava que o novo W15 havia resolvido as limitações do carro anterior. No entanto, problemas de refrigeração do motor atrapalharam a equipe no Bahrein, e na Arábia Saudita, a equipe teve um desempenho decepcionante, terminando a corrida em sexto e nono lugares.

Wolff admitiu que a Mercedes enfrenta um problema ‘fundamental’ com o carro atual em curvas de alta velocidade, devido a discrepâncias entre os dados de simulação e o comportamento real nas pistas. Apesar disso, o dirigente acredita que a Mercedes está em melhor posição para lidar com problemas do que nas temporadas anteriores e tem certeza de que vai superá-los.

“É uma confiança diferente que tenho no grupo dessa vez”, disse Wolff. “Estamos identificando os problemas e é bem claro para onde devemos seguir. Tenho a sensação de que vamos sair por cima. Será o suficiente para vencer um Max Verstappen na Red Bull? Não, no momento não. Mas pelo menos, vamos voltar a brigar por pódios e estar lá na luta. Tenho 100% de certeza que vamos chegar lá.”

Wolff negou que os engenheiros da Mercedes tenham ficado superconfiantes após o feedback positivo recebido nos testes de pré-temporada. “Essa equipe não está superconfiante, provavelmente estamos até o contrário, vendo o copo meio vazio”, disse ele. “Essa atitude de analisar os problemas é a mesma de sempre, mas também é a atitude de corrigi-los.”

No entanto, Wolff descartou críticas à equipe por mais uma vez perder terreno para a Red Bull, afirmando que não há motivos para questionar o grupo de trabalho.

“Mudei minha mentalidade. Não acho que pressão adicional sobre todos nós melhore as coisas”, disse Wolff, em relação à sua atitude mais calma e comedida. “Acredito que temos um problema físico, não é por falta de esforço, motivação ou energia. Tudo isso está lá e eu vejo a animação na organização. Como competidores, quando você tem esses resultados, você se sente desanimado, mas estamos tentando transformar isso em motivação para a próxima semana. É por isso que temos que acreditar que podemos reverter essa situação, acreditar que nossa organização pode se recuperar, e eu tenho 100% de certeza que podemos”, encerrou o chefe da Mercedes.