F1: Wolff fala de saída de Hamilton: “Se fosse para Red Bull, motivo era claro”

A mudança de Lewis Hamilton para a Ferrari a partir de 2025 na F1 ainda tem rendido inúmeras análises. Para Toto Wolff, chefe da Mercedes, caso o heptacampeão tivesse ido para a Red Bull, os motivos para a decisão teriam sido mais claros.

O mundo do esporte a motor foi pego de surpresa com a notícia do sete vezes campeão mundial de saída do time alemão. Após 11 temporadas, seis títulos, inúmeros recordes e vitórias, o britânico agora terá a missão de usar as cores da escuderia de Maranello ao lado de Charles Leclerc.

Fazendo um balanço, o dirigente austríaco veria mais motivos plausíveis em uma ida para a Red Bull, já que a Mercedes e Ferrari terminaram quase empatadas no Mundial de Construtores de 2023 – apenas três pontos separavam as esquadras.

“Se tivesse ido para a Red Bull, o motivo da mudança estaria claro. Eles têm o melhor pacote no curto prazo”, disse o dirigente em entrevista ao Motorsport-total.com.

Na temporada 2023, a equipe alemã, apesar de subir ao pódio em algumas provas, falhou em assegurar ao menos uma vitória. Entretanto, aos olhos de Wolff, isso não conta toda a história. “O que talvez não fosse tão visível para ele era a energia que há na equipe, o desejo de fazer as coisas melhor. É uma questão de tentativa e erro: ‘não tenho ideia de quantas vezes mais vamos cair, mas sei que sempre nos levantamos.'”, pontuou.

“Se olharmos para trás em 10 ou 20 anos, teremos muito mais campeonatos mundiais. Mas é claro que essa é uma perspectiva de longo prazo e isso não importa mais para Lewis”, concluiu.