F1: Wolff não quer aguardar até 2026 para estar na disputa por títulos

A Mercedes não quer desistir da briga pelo topo da Fórmula 1. Mesmo diante do domínio da Red Bull e das dificuldades enfrentadas nos últimos anos, o chefe da equipe, Toto Wolff, afirmou que não descarta a conquista de títulos antes da grande mudança de regulamento em 2026.

Em entrevista ao Autosport, Wolff descartou a ideia de ‘jogar a toalha’ e apenas aguardar a chegada do novo ciclo de regulamentos: “Eu não quero desistir da recuperação e dizer, ‘Bem, vamos esperar por 2026, carro novo, motor novo’. Há dois anos importantes pela frente. Quero ver isso como um testemunho das forças da equipe, de que somos capazes de nos recuperar e disputar títulos. Esse é o nosso objetivo claro.”

Apesar dos planos de adotar uma filosofia diferente para o carro de 2024, o W15, Wolff reconhece o tamanho do desafio de alcançar a Red Bull: “Olhando para as chances, é muito difícil. Olhando para o desempenho de outras equipes, como a Aston Martin evoluiu de 2022 para 2023, a McLaren recuperou um segundo com uma atualização que esperava-se que chegasse em 0,25 segundos… Há um ponto ideal que você precisa encontrar e que desbloqueia mais potencial.”

Wolff aponta a confiança dos pilotos como um fator crucial para a evolução: “Acho que um ponto muito importante, é que os pilotos tenham um carro em que possaem confiar, o que eles não conseguem no momento.”

Enquanto o motor de 2026 já está em desenvolvimento, o regulamento técnico proíbe o trabalho em túnel de vento ou CFD para os carros da próxima geração até janeiro de 2025. Com características como menor peso e asas móveis, esses carros prometem uma nova era para a F1.

A Mercedes encara o período até 2026 como uma oportunidade de provar sua resiliência e capacidade de adaptação. A equipe precisa apresentar um ritmo intenso de desenvolvimento e garantir que o W15 e seu sucessor sejam passos concretos na jornada de retorno ao topo.