F1: Várias equipes levaram atualizações para a Arábia Saudita

Sete equipes da Fórmula 1 levaram modificações significativas para seus carros no GP da Arábia Saudita, buscando se adaptar às exigências do Circuito de Jeddah. As atualizações, predominantemente voltadas para características específicas da pista, destacam o comprometimento das equipes em otimizar o desempenho em altas velocidades.

Na Red Bull, ajustes na abertura de suspensão e saída de refrigeração do RB20 foram feitos para enfrentar a alta velocidade média da pista, resultando em uma configuração de asa traseira de baixo arrasto.

A Ferrari adotou alterações semelhantes na asa traseira, incorporando ainda a especificação de 2023 para otimizar a aerodinâmica. A McLaren seguiu a tendência, optando por uma configuração de baixa pressão aerodinâmica na asa traseira.

Já a Mercedes introduziu uma única peça de desempenho no W15, focada em melhorar a resistência da asa defletora inferior, enquanto a Aston Martin realizou revisões na parte frontal do AMR24 para aprimorar o fluxo de ar.

A Williams se concentrou em ajustes específicos para o clima de Jeddah, reduzindo o tamanho da ‘asa-beam’ para melhorar o desempenho nas altas temperaturas. A Red Bull foi a equipe que fez mais atualizações, com quatro delas, incluindo modificações para otimizar o fluxo de ar.

Enquanto apenas três equipes escolheram não introduzir atualizações nesta etapa, a busca por inovação destaca a competitividade acirrada na Fórmula 1 e o constante esforço para se adaptar às complexidades de cada circuito.

O F1MANIA.NET acompanha ‘in loco’ o GP da Arábia Saudita com o jornalista Rodrigo França direto de Jeddah.