F1: “Sinto falta do Michael de antes”, afirmou Ralf Schumacher

Quase uma década se passou desde o fatídico 29 de dezembro de 2013, quando o heptacampeão de Fórmula 1, já então aposentado das pistas, Michael Schumacher, sofreu um grave acidente de esqui nos Alpes franceses. As sequelas do grave traumatismo craniano marcaram não apenas ele, mas também toda sua família, especialmente o irmão mais novo, Ralf Schumacher.

Em entrevista ao jornal Bild, Ralf desabafou sobre o impacto do ocorrido: “Esse destino mudou a nossa família. Posso dizer que o acidente dele foi uma experiência muito ruim e drástica para mim também. Mas não apenas para mim, por exemplo, para os filhos de Michael: Mick, como todos sabemos, estava lá também como um jovem adolescente na época. Infelizmente, a vida não é sempre justa e houve muita má sorte nesse caso também.”

Ralf voltou no tempo para relembrar a infância ao lado de Michael: “Michael não é apenas meu irmão, mas quando ele era mais jovem, ele também era meu treinador e mentor. Ele me ensinou tudo sobre Kart. Podemos ter sete anos de diferença em idade, mas ele sempre estava ao meu lado naquela época. Pilotávamos os Karts juntos, praticávamos ultrapassagens, todas aquelas coisas que são importantes no automobilismo. Ele me deu toda a experiência que teve nos sete anos anteriores. Eu simplesmente pude aprender com o melhor”, acrescentou.

As circunstâncias do crescimento na família Schumacher eram diferentes da maioria dos pilotos de Fórmula 1. Isso deixa Ralf ainda mais orgulhoso do que Michael conquistou: “Tivemos muita sorte. Basicamente crescemos ao lado da caixa de brita da pista de Kart em Kerpen. Quando nossos pais compraram a casa ao lado, inicialmente dividimos um quarto e dormíamos em um colchão no chão, porque ainda não tínhamos dinheiro para uma cama. E então Michael se tornou um piloto júnior da Mercedes. Ainda hoje é inacreditável o que surgiu dessas circunstâncias.”

Quando questionado sobre como se sente em relação ao irmão hoje, Ralf se emocionou: “Sinto falta do Michael de antes. A vida às vezes é injusta. Michael teve muita sorte em sua vida, mas então esse trágico acidente aconteceu. Felizmente, as opções médicas modernas tornaram possível fazer algumas coisas, mas ainda assim, nada é como costumava ser.”

A entrevista de Ralf revela não apenas a dor da família Schumacher, mas também o vínculo profundo que existia entre os irmãos, algo que na maioria das vezes passa despercebido diante do grande público.