F1: Sauber afirma que identidade visual da Audi só chegará em 2026

A Sauber reiterou que a Audi permanece ‘totalmente comprometida’ com a Fórmula 1, mas confirmou que a marca não terá presença visual na equipe até 2026.

No ano passado, foi anunciado que a Audi entraria na F1 pela primeira vez, assumindo a equipe de propriedade da Sauber durante a iminente reformulação das regulamentações técnicas em 2026.

O time sediado em Hinwil havia operado sob o nome de Alfa Romeo desde 2018, vinculado a um contrato de patrocínio principal com a marca italiana de carros.

No entanto, com esse acordo chegando ao fim no final deste ano, a equipe voltará ao nome Sauber em 2024, preparando-se para a chegada completa da Audi à F1. O retorno à identidade Sauber poderia abrir espaço para anunciar sutilmente a entrada da Audi, mas o representante da equipe, Alessandro Alunni Bravi, negou essa possibilidade.

Perguntado se alguma marca da Audi poderia aparecer na Sauber antes da mudança do nome, Alunni Bravi disse à Autosport: “Não. A Audi entrará em 2026. Comercialmente falando, é importante ter um grande impacto em 2026, não diluir o envolvimento da Audi com a equipe. Portanto, continuaremos como Sauber, baseados na herança do grupo.”

Bravi afirmou que a Sauber já havia acordado um novo patrocínio principal antecipadamente, e que será anunciado no início do próximo mês. “Já planejamos o próximo passo. E é claro, assinamos com esse patrocinador principal no início de 2022 para as próximas duas temporadas”, acrescentou.

“A FIA publicará a lista de inscritos de 2024 por volta de 10 de dezembro, e também comunicaremos nessa época, não antes, qual será o nome da equipe para as próximas duas temporadas e os patrocinadores principais para nossa equipe.”

“Temos tudo claro para as próximas duas temporadas. E quero reiterar que não são dois anos de transição. São dois anos que fazem parte de um projeto de longo prazo que precisa levar a equipe para o próximo nível”, disse ele.

Alguns boato no início deste ano, especularam que a Audi estaria reconsiderando sua intenção de entrar na F1, aumentada pela saída do ex-CEO da fabricante alemã, Markus Duesmann.

O substituto de Duesmann, Gernot Dollner, não conseguiu dissipar essas dúvidas, mas Bravi afirmou que não há dúvidas sobre o compromisso da Audi com seu projeto na F1. “Entre Las Vegas e Abu Dhabi, estive em Ingolstadt (sede da Audi)”, disse Bravi. “Então, acredito que há um compromisso. Vi pessoas totalmente comprometidas, trabalhando muito. Sabemos que o desafio é grande, mas há um compromisso total.”

Expandindo seu conhecimento sobre a devoção da Audi ao esporte, Alunni Bravi detalhou que a incursão da Audi na F1 foi ratificada em todos os níveis da hierarquia da empresa.

“O compromisso da Audi foi realmente forte desde o início”, disse o italiano. “O projeto da F1, foi aprovado pelo conselho de administração da Audi, foi confirmado pelo Conselho Fiscal da Audi e foi então confirmado pelo Conselho Fiscal da VW. Portanto, é um compromisso em todos os níveis dentro do Grupo Audi/VW. A mudança no CEO não altera essa abordagem, porque não foi uma decisão de um único indivíduo ou do conselho, foi uma decisão do grupo”, finalizou Bravi.