F1: Sainz reflete sobre os desafios da Ferrari na temporada 2023

Carlos Sainz, piloto da Ferrari, admitiu que a forma inconsistente da equipe durante a temporada 2023 da Fórmula 1 foi um desafio mental significativo. Após um retorno promissor às vitórias com as novas regulamentações de efeito solo no ano anterior, a Ferrari encontrou dificuldades em manter uma disputa consistente pelo título devido ao caprichoso carro SF-23.

Sainz, que conquistou a única vitória da temporada que não foi da Red Bull em Singapura, enfatizou a importância de ajustar as expectativas para garantir que a equipe maximizasse seu desempenho a cada fim de semana após as férias de verão. “A primeira parte do ano foi difícil, pois todos esperávamos mais. Inclusive eu, que fiquei um pouco desapontado e surpreso com a diferença para a Red Bull em alguns circuitos e a forma como não conseguíamos realmente lutar pelos objetivos que tínhamos estabelecido”, disse Sainz.

Para a segunda metade da temporada, a estratégia da Ferrari foi focar em maximizar o que tinham, reconhecendo que haveria corridas onde poderiam lutar por poles e vitórias e outras em que teriam que se contentar com posições mais baixas, devido a uma diferença de até um segundo no ritmo de corrida. “Adaptar-se a isso e mudar minha mentalidade foi o que mudou, e percebi que cada fim de semana seria um pouco diferente. Era apenas uma questão de tentar ser consistente, tentar trazer pontos para a equipe e maximizar o que tínhamos”, explicou Sainz.

Apesar de terminar a temporada a apenas três pontos de ultrapassar a Mercedes para o segundo lugar no Campeonato de Construtores, a Ferrari conseguiu registrar três poles nas últimas cinco rodadas. No entanto, a equipe de Maranello ainda enfrentou inconsistência em diversas corridas, o que Sainz reconhece como um problema difícil de aceitar.

Questionado se essa visão de extrair o máximo representava uma mudança na abordagem da Ferrari em comparação com os anos anteriores, Sainz disse: “É exatamente assim que se sente por dentro. Reconhecemos o pacote que temos, entendemos e agora apenas o colocamos na pista e tentamos maximizá-lo a cada fim de semana, e acho que estamos fazendo um trabalho muito melhor nisso.”

“Aprendemos que precisamos ter mais desempenhos como os de Vegas e Singapura no próximo ano e entender por que o carro lá é forte e por que é tão fraco em outros tipos de circuitos e curvas”, acrescentou Sainz.

Essa reflexão de Sainz ressalta os desafios únicos enfrentados pela Ferrari em uma temporada de altos e baixos. O foco na adaptabilidade e na compreensão das variações de desempenho do carro são essenciais para que a equipe possa avançar e buscar um desempenho mais consistente na próxima temporada da Fórmula 1.