F1: Sainz não fará “jogo de equipe” na Ferrari em 2024, crava Villeneuve

A saída iminente de Sainz da Ferrari muda suas prioridades para 2024

Jacques Villeneuve, campeão da Fórmula 1 em 1997, prevê que Carlos Sainz não seguirá o “jogo de equipe” na Ferrari em 2024, após a equipe optar por substituí-lo por Lewis Hamilton no próximo ano. Sainz, que substituiu o tetracampeão Sebastian Vettel em 2021, havia expressado sua visão de permanecer na Ferrari pelo resto de sua carreira na F1. Contudo, a Ferrari anunciou na quinta-feira que chegou a um acordo com Lewis Hamilton para um contrato de múltiplos anos, começando na temporada de 2025.

Sainz se torna, assim, uma baixa colateral na bem-sucedida aquisição de Hamilton pela equipe italiana, que já havia confirmado na semana passada a renovação de contrato com Charles Leclerc. Apesar de ter conquistado a única vitória não-Red Bull na última temporada, Sainz, agora vinculado a uma possível transferência para a Sauber antes de sua evolução para a Audi, buscará um novo cockpit.

“Ele é o grande perdedor nesta situação porque seu poder de barganha, com a Audi ou qualquer outra equipe, é obviamente muito menor”, disse Villeneuve à La Gazzetta dello Sport. “Sainz não terá interesse em jogar os jogos da equipe. Os resultados da Ferrari para ele agora contam como zero, a única coisa que contará serão seus resultados.”

Enquanto isso, Villeneuve, assim como Martin Brundle, acredita que a aliança entre a equipe e o piloto mais bem-sucedidos da F1 será uma parceria positiva para todos os envolvidos. “É uma boa notícia para todos nós”, acrescentou o canadense sobre a surpreendente mudança de Hamilton. “É inesperado, de fato, e emocionante. Faz as pessoas falarem. Você não pode imaginar nada mais: a maior equipe de todos os tempos com o piloto mais bem-sucedido.”

Com a Ferrari confirmando sua dupla de pilotos para 2025, uma volta à equipe de Woking não é uma opção para Sainz, mas ele poderia se tornar uma opção viável para a Mercedes na busca pelo sucessor de Hamilton. A Red Bull terá um lugar disponível ao lado do atual campeão mundial Max Verstappen na próxima temporada; no entanto, o jornal espanhol Marca descartou essa possibilidade. Sainz, ex-membro da Red Bull Junior Team e que avançou para a F1 com a segunda equipe da marca austríaca, conhecida na época como Toro Rosso, ao lado de Verstappen, viu seu relacionamento com o acampamento de Verstappen se tornar “bastante tóxico”, levando à sua saída no final de 2018.

Sainz já havia desmentido relatos que o ligavam a uma mudança para a Sauber antes de sua transição para uma entrada de fábrica da Audi em 2026, mas agora isso parece ser um movimento que ele considerará.