F1: “Saída de Hamilton gera tensões na Mercedes”, afirma Wolff

A saída de Lewis Hamilton da Mercedes ao final desta temporada está gerando tensões dentro da equipe, segundo Toto Wolff. Com a confirmação precoce de que o britânico deixará a equipe, as relações internas têm ficado mais delicadas, como disse Wolff ao GPblog e outros.

A temporada atual tem sido difícil para Hamilton, que ocupa apenas a oitava posição no campeonato mundial de pilotos e frequentemente reclama sobre o desempenho de seu carro.

Wolff acha que é normal que aconteça irritações de tempos em tempos: “Estamos tentando tirar o melhor da relação, tentando maximizar os resultados para o que é a temporada final. E isso, como sempre, pode ser tenso às vezes entre pilotos e equipes porque todos querem fazer o melhor”, afirmou Wolff.

No sábado, Hamilton disse a Wolff que, no início da temporada, não esperava vencer seu companheiro de equipe em todas as classificações, algo que não tem acontecido. Quando questionado sobre o significado dessa declaração, Wolff respondeu: “Você sabe, todos os pilotos não são um pouco céticos às vezes? Acho que, como equipe, demonstramos, mesmo nas competições mais tensas entre companheiros de equipe, que estamos tentando sempre equilibrar e ser transparentes e justos.”

Wolff continuou: “Acho que aquele foi um dos momentos de 2016 em Abu Dhabi (quando Hamilton competia com Nico Rosberg pelo título mundial), onde tentamos gerenciar algumas áreas que não fizemos desde então. Mas posso entender que, como piloto, você quer o melhor de si mesmo e da equipe e, às vezes, quando as coisas estão indo contra você, você pode questionar 100%. Estamos em uma missão para dar aos dois pilotos dois grandes carros, os melhores carros possíveis, as melhores estratégias possíveis e assim por diante,” finalizou.