F1: Russell diz que Mercedes sabe motivo do fraco início na temporada

Apesar do início na temporada 2024 da Fórmula 1 abaixo do esperado, a Mercedes acredita ter encontrado explicações para a queda de rendimento do W15 nas duas primeiras corridas deste ano. O time alemão soma apenas 26 pontos, vivendo seu pior começo de ano desde 2012.

Depois de resultados promissores nos treinos de pré-temporada, a Mercedes esperava ter resolvido os problemas do carro anterior. No entanto, os pilotos Lewis Hamilton e George Russell sequer conquistaram pódios até o momento em 2024.

O chefe de equipe Toto Wolff, chegou a admitir que o déficit de velocidade em Jeddah não condizia com as simulações. Russell, porém, acredita que a Mercedes está no caminho certo para evoluir.

“Ainda vejo potencial no carro, basta ver nosso desempenho nos treinos iniciais das duas últimas corridas. Estávamos realmente rápidos, mas perdemos performance na hora da sessão de classificação. Temos algumas ideias do porquê isso aconteceu”, afirmou Russell.

“É importante lembrar que só tivemos três dias de treinos na pré-temporada e duas corridas. Em uma analogia com o futebol, é como se um time recém-formado estivesse disputando os primeiros jogos da temporada. Ainda estamos aprendendo a extrair o máximo um do outro”, acrescentou.

Mesmo com as dificuldades com o carro de efeito solo, a Mercedes conquistou pódios nas duas últimas edições do GP da Austrália, com Russell chegando a liderar a corrida em 2023. O piloto britânico acredita que a equipe possa brigar pelo top 3 em Melbourne, utilizando os treinos como chance para resolver seus problemas.

“Trabalhamos bem aqui nas últimas temporadas. No ano passado, largamos em segundo e terceiro, e lutamos pela vitória em um certo momento da corrida. E aprendemos muito nas duas primeiras provas deste ano. Vamos testar bastante o carro nos treinos livres para entender como explorá-lo melhor”, disse ele.

Russell continuou: “É uma disputa emocionante logo atrás da Red Bull. Não estamos aqui para brigar pelo segundo lugar, queremos vencer. Sabemos que é um desafio, mas as coisas mudam rapidamente na F1”, encerrou o britânico.