F1: Problemas do W14 foram resolvidos pela Mercedes, segundo Russell

George Russell reconheceu que a Mercedes cometeu erros ao lidar com as dificuldades do W14 na temporada 2023 da Fórmula 1. A equipe vem de duas temporadas complicadas, com apenas uma vitória em 2022, no GP de São Paulo justamente com Russell, e nenhum triunfo em 2023, o que representou seu primeiro ano sem vitórias desde 2011.

Boa parte dos problemas se originaram da filosofia de ‘zeropod’ adotada no início da era dos novos regulamentos de efeito solo em 2022, com o W13 sofrendo bastante com o ‘porpoising’.

Embora no W14 tenha sido resolvido a questão do ‘porpoising’, a instabilidade em alta velocidade e questões de acerto continuaram a atormentar a equipe. Russell, porém, acredita que eles entenderam os erros e estão prontos para brigar pelo título com a Red Bull no novo W15.

“Os últimos dois anos foram difíceis para a equipe, depois de oito títulos e um terceiro lugar em 2022. O ano de 2023 foi uma surpresa, não só pelo resultado (com a equipe garantindo o vice-campeonato), mas pelos desafios que enfrentamos”, disse Russell. “Não entendíamos o carro. Demorou muito para entendermos e resolver os problemas que nos atrapalhavam.”

“Sinto que, como equipe, aprendemos muito nesses dois anos, desenvolvemos nossas ferramentas. Agora temos uma correlação muito melhor entre simuladores, túnel de vento e pista, o que é vital para os próximos anos”, acrescentou.

Apesar de terminar o campeonato de construtores em segundo, Russell ressaltou o tamanho da desvantagem em relação à Red Bull. “Olhando para os últimos dez anos da equipe, oito títulos e depois os ‘anos ruins’ foram P3 e P2”, disse Russell. “Isso mostra as expectativas que temos. Em teoria, o ano passado não foi ruim, mas a realidade é que estávamos muito longe da Red Bull.”

“Sabemos que temos muito que melhorar. Estou confiante que este carro será um passo na direção certa. Agora, só precisamos continuar trabalhando e avançando”, finalizou o piloto britânico.