F1: Rosberg não gostaria de ter ‘Drive to Survive’ na temporada 2016

O ex-piloto e campeão na Fórmula 1 em 2016, Nico Rosberg, expressou recentemente que não teria sido um fã da famosa série da Netflix, ‘Drive to Survive’, se ela tivesse sido lançada no ano em que conquistou seu título.

Com cinco temporadas já lançadas, a série da Netflix tornou-se um fenômeno conhecido no mundo da Fórmula 1, atraindo uma ampla audiência e oferecendo uma visão detalhada dos bastidores da categoria. No entanto, Rosberg afirmou em uma entrevista ao City A.M., que não teria gostado da ideia em 2016.

“Não, não, não, isso seria horrível”, disse ele. “Isso teria sido horrível porque teria tirado minha concentração na conquista do título no campeonato. Isso teria sido um desastre”, disse o alemão.

Rosberg destacou o sucesso da F1 ao colaborar com a Netflix, transformando a série em um programa de reality show. Ele reconheceu a participação crucial de figuras como Guenther Steiner, chefe da equipe Haas, e outros chefes de equipe que aceitaram ser autênticos, mesmo enfrentando os riscos associados a isso.

A série, que teve início em 2019, proporcionou aos fãs uma visão mais profunda do mundo da Fórmula 1, revelando os desafios, rivalidades e emoções por trás das corridas. Rosberg, no entanto, enfatizou que em 2016, o foco absoluto estava em sua busca pelo título, e a distração de uma série como essa teria sido prejudicial.

Essa revelação de Rosberg destaca como a dinâmica e a percepção dos pilotos em relação à exposição midiática, podem variar ao longo das temporadas, mostrando a evolução da categoria em diferentes contextos e períodos.