F1: Ricciardo e Tsunoda têm opiniões diferentes sobre ordem da equipe

Daniel Ricciardo e Yuki Tsunoda têm opiniões diferentes sobre a decisão da equipe RB em impor uma troca de posições entre os pilotos durante a fase final do GP do Bahrein de Fórmula 1.

Nos momentos finais da corrida, Tsunoda tentava ultrapassar a Haas de Kevin Magnussen pela 12ª posição, enquanto Ricciardo se aproximava rapidamente.

Com Tsunoda usando pneus duros comparado aos macios do companheiro de equipe, a RB instruiu o piloto japonês a deixar Ricciardo passar para atacar Magnussen.

Tsunoda obedeceu a ordem, mas protestou com a equipe antes de se mover, questionando ironicamente o engenheiro de corrida pelo rádio: “Você está brincando comigo, agora?”

Ricciardo não conseguiu superar Magnussen, mas manteve a posição para terminar como o piloto da RB mais bem colocado, com Tsunoda então se aproximando do australiano na volta de desaceleração, e jogando seu carro para cima do companheiro de equipe. Ricciardo precisou frear para evitar um toque.

Analisando a decisão que fez os pilotos da RB inverterem as posições, Tsunoda disse que não conseguia entender a ordem e que desejava discutir internamente com a equipe posteriormente.

“Eu estava prestes a ultrapassar Magnussen, estávamos lado a lado na reta principal e recebi a ordem de troca de pilotos nas últimas voltas”, disse Tsunoda. “Para ser honesto, não entendi o que a equipe pensou. Então, preciso entender o que eles estavam pensando, mas até agora não entendo.”

No entanto, Ricciardo contestou que a decisão fosse uma surpresa para Tsunoda, afirmando que tal cenário foi levantado no briefing dos pilotos da RB antes da corrida.

“Nós também conversamos sobre isso, obviamente antes da corrida. Nós pensamos na estratégia”, afirmou Ricciardo. “Temos alguns planos do que podemos fazer, mas era bem provável que eu, começando a corrida com um pneu macio usado, terminasse a corrida com um novo macio e tivesse um último stint agressivo. E sim, a ordem da equipe já era esperada. Sei que quando você está na corrida fica um pouco mais emocional e intenso, mas essa ordem não foi surpresa.”

“E obviamente, cada volta conta quando você está com esse pneu e está tentando obter o mínimo de aderência, então você precisa reagir ao chamado da equipe. Além disso, ainda não estávamos em uma posição de pontos, então não há realmente nada a perder: apenas me deixe ir e ver se consigo fazer algo a respeito.”

Não tendo conseguido ultrapassar a Haas, Ricciardo disse que estaria disposto a devolver a posição a Tsunoda caso a equipe o solicitasse.

“Se estivéssemos em uma posição de pontos… Mas obviamente no final estávamos… se eu sou 13º ou 14º, não sei se algum piloto se importa com isso, mas eu não. Então, se a equipe dissesse para deixá-lo passar antes da linha de chegada, eu teria feito isso porque não significa nada para mim. A menos que estejamos nos pontos, quem se importa?”

“Mas é só… Acho que se você está em uma posição de pontos, se ele me deixa passar pelo nono lugar, ele é o décimo ou o que seja, então você pode trocar de novo se eu não conseguir o oitavo. Mas naquela situação, eu acho que não importava”, acrescentou.

Ricciardo também afirmou que teria algumas perguntas para a equipe após a corrida, pois acredita que a ordem chegou uma volta mais tarde do que o ideal para a sua estratégia.

No entanto, o australiano reconhece que alcançar Lance Stroll, da Aston Martin, que parou apenas uma vez, para conquistar um ponto valioso na abertura da temporada estava fora de alcance.

“Para ser honesto, eu diria que, sendo totalmente transparente do meu lado, acho que a ordem da equipe já estava talvez uma volta atrasada”, acrescentou Ricciardo. “E então ele reagiu mais tarde do que isso, então quando há pneus macios como esses, cada volta é crucial. Então, acho que já perdi provavelmente duas voltas e meia boas do pneu, e essa foi talvez a diferença. Poderíamos ter alcançado, acho que talvez, quem estava em décimo? Não. Acho que no máximo pegaríamos Zhou (Guanyu). Então, os pontos ainda eram difíceis. Mas tínhamos que tentar algo”, finalizou o australiano.