F1: Repórter aponta conflito com Gene Haas como motivo da saída de Steiner

O mundo da F1 foi pego de surpresa nesta semana com a notícia da saída imediata de Günther Steiner como chefe da Haas. Apesar de o motivo da demissão do dirigente ser a baixa performance da escuderia, o jornalista Lawrence Barreto tem uma ideia ligeiramente diferente da razão de toda a movimentação.

O italiano estava à frente da equipe estadunidense desde sua entrada no grid da categoria em 2015. Agora, quem assume o papel de comandar o time é Ayao Komatsu, que terá o objetivo de melhorar os resultados para a temporada 2024.

O anúncio aconteceu na última quarta-feira (10) e mesmo com anos de lealdade e trabalho com a Haas na F1, Steiner sequer pôde se despedir – não havia uma declaração do chefe de equipe no informativo oficial liberado para a imprensa.

Um dos motivos seria, segundo Barreto, repórter do site oficial da F1, conflito em Günther e Gene Haas, dono do time. O contrato de Steiner terminou em 2023 e por problemas com o chefão, acabou não renovado para este ano.

Nas redes sociais, Lawrence escreveu que “acredito que Steiner e o dono Gene Haas têm diferentes visões no caminho da equipe adiante e, portanto, optaram por caminhos diferentes. Creio que o contrato de Steiner terminou no último ano. Por não concordarem com a estratégia para o futuro, o acordo não foi renovado”.